No Dia do Cinema Brasileiro, diretores e seus livros

(0 Estrelas - 0 Votos)

Dia do Cinema Brasileiro. Em um cenário onde os norte-americanos eram reis, mostramos que em terras tupiniquins também há cinema de qualidade. A partir da década de 60, conhecida como a época de ouro do cinema brasileiro, excelentes filmes passaram a ser produzidos por aqui, driblando até mesmo a censura imposta pela ditadura militar. O resultado foram filmes inesquecíveis e de grande sucesso, como O Assalto ao Trem Pagador (1962), dirigido por Roberto Farias e Deus e o Diabo na Terra do Sol (1964), um grande marco do cinema novo, sob direção de Glauber Rocha. Anos depois, veio Central do Brasil (1998), premiado como o melhor filme estrangeiro no Globo de Ouro, Cidade de Deus (2002) indicado quatro vezes ao Oscar e teve também o recente Tropa de Elite, vencedor do Urso de Ouro no Festival de Berlim (em 2007), além outros tantos que marcaram época e fizeram a história do cinema nacional. E como literatura e cinema andam sempre de mãos dadas (confira nosso post sobre livros que inspiraram filmes), descobrimos que vários diretores brasileiros de cinema também se aventuraram na arte de escrever. E não pense que estamos nos referindo a livros sobre cinema, como O Século do Cinema, de Glauber Rocha e O que é ser Diretor de Cinema, de Cacá Diegues. Estamos falando de romances, contos e poesias. Baseado na peça homônima de Shakespeare, o livro Trabalhos de amor perdidos, do cineasta Jorge Furtado, conta a história de Robin, um jovem ator que viaja como bolsista para estudar a obra do escritor com alunos do mundo inteiro. Além dos colegas Duck e Gavil, com quem vai viver situações hilárias, Robin também conhecerá gente de lugares remotos, todos loucos por Shakespeare, é claro! Misturando realidade e ficção, José Torero, em seu livro de estreia, O Chalaça, narra as memórias de Francisco Gomes da Silva, conselheiro do Império e um dos mais importantes auxiliares de Dom Pedro I. Adepto dos suspenses policiais, em Cortina de Sangue, o diretor Braz Chediak narra as aventuras do detetive alcoólatra Popeye à procura de uma atriz desaparecida durante a gravação de uma novela. Seguindo a mesma linha de romance policial, Carlos Gerbase, em Todos Morrem no Fim, alterna a história de uma investigação policial com o relato de um jovem que se vê envolvido em uma operação policial clandestina: tirar do país dois uruguaios suspeitos de terrorismo. Curioso? Então, confira essas e outras obras literárias de nossos grandes talentos na direção da sétima arte:

Se você já leu alguns dos títulos acima, compartilhe suas impressões com a gente. Comente este post.]]>

Leonardo Loio

SEM, SEO e tudo relacionado a buscadores, é o que eu gosto. Carioca, marketeiro, profissional de marketing digital, search marketing, tento aprender, discutir e ensinar.

Maze Runner: Conheça os livros da saga Conheça os livros de Jô Soares Se você gostou dessas séries, vai gostar desses livros! Clássicos do Horror para conhecer Os melhores romances para ler nos próximos meses