Vencedores do desafio Ler com Prazer falam de suas percepções sobre a leitura

(0 Estrelas - 0 Votos)

Eles aceitaram o desafio proposto pela Estante Virtual, no início de abril, reinventaram a leitura em suas vidas e comprovaram, em vídeos pra lá de criativos, que toda maneira de ler vale a pena. Hoje, contam para nós um pouco mais de seus gostos literários, suas percepções sobre a literatura recomendada nas escolas e de onde retiraram inspiração para a criação dos vídeos vencedores.

Conheça os vídeos ganhadores do Desafio Ler com Prazer

Ao se deparar com o tema do desafio – toda maneira de ler vale a pena – o advogado de 31 anos, Alexandre Soares Campos, lembra de ter se identificado com sua própria realidade no passado. “Na minha época de escola, eu era obrigado a ler vários livros em um tempo determinado. Achava muitos deles bem ruins e a leitura tornava-se entediante e cansativa”, relembra o 1° colocado no desafio Ler com Prazer.

Sentimento semelhante foi compartilhado pelo bancário de 28 anos, Patrick Souza. “Nas escolas, a leitura é voltada para o vestibular e não para o simples prazer do ato de ler. Por isso, a dificuldade em ler títulos próprios para os exames”, opina o 3° colocado no desafio. Ainda que reconheça a importância da leitura desses livros para o vestibular, Patrick acredita que as discussões temáticas poderiam tornar a leitura mais leve e agradável. “As escolas deveriam estimular a leitura de livros simples e que tragam a atenção do leitor pelo tema proposto. Bem como devem ser passados estudos de livros, debates e resenhas sobre um determinado livro indicado pelo professor de acordo com a idade dos alunos de sua turma”. Patrick dá, ainda, outra dica: “acho que a escola deveria permitir que o aluno escolhesse pelo menos um livro de seu interesse”.

Para a 2ª colocada no desafio, Natalia Reis Gomes, é preciso que as escolas invistam em literatura mais próxima da realidade dos jovens. “Eu gosto de Machado de Assis, por exemplo, mas tenho consciência de que é uma literatura pesada para o ensino fundamental. Seria interessante se as escolas, e mesmo as faculdades, investissem em livros mais recentes com temáticas mais próximas dos jovens. Os livros obrigatórios costumam ser muito antigos, difíceis de ler e alguns até mesmo ultrapassados”, afirma a estudante de mídias digitais e frequentadora assídua de sebos de sua cidade.

Gostos literários e inspiração para o desafio

Diante dessas percepções sobre a leitura tradicional, os três participantes do desafio encontraram inspiração para criar vídeos que comprovassem que a leitura pode ser feita com prazer. “Em meu vídeo, tentei passar a mensagem de que o importante é ler da sua maneira e no seu tempo, independentemente se a leitura é das mãos ou do tarô”, explica Alexandre. Apesar de confessar estar afastado das obras literárias que lê por prazer, por conta da leitura de apostilas para concursos, o advogado lê livros de receitas nos momentos de intervalo para relaxar. “E procuro uma boa trama policial sempre que consigo um tempo para me dedicar à leitura. O mais recente foi o Código Da Vinci, de Dan Brown”.

Patrick, por sua vez, gosta mesmo dos livros de mistério. “Sobretudo os de autoria de Agatha Christie”. Em seu vídeo, o bancário fala sobre o poder da imaginação libertado pelos livros. “Misturei um pouco o tema do desafio com a possibilidade de ‘viajarmos’ através dos livros, trazendo para a realidade um item relacionado a cada gênero literário”, explica Patrick. Já Natalia, viu na telinha a fonte de inspiração para seu vídeo. “Eu adorava assistir o quadro da Márcia Goldsmith na televisão, então quis apresentar a leitura como um vício de forma bem exagerada, dramatizando sobre as ideias que o próprio site forneceu. O exagero nas cenas foi uma forma de transmitir humor”, conta a jovem de 22 anos que se considera uma leitora voraz. “Leio dois livros por semana desde os 7 anos de idade. Não tenho um estilo preferido e leio até livros de autoajuda – muito criticados pela maioria. Acredito que você aprende com qualquer livro já que é possível entrar na mente dos personagens e no modo de pensar do autor”, argumenta a leitora cujo sonho é abrir um open-bar em uma livraria.

Depois de serem os três vídeos mais votados em votação popular promovida no canal da Estante Virtual no Youtube, os três candidatos já sabem bem que destino dar aos prêmios conquistados. “Parece que vou ter muitos livros para ler este ano”, brinca Natalia. “Minha intenção é fazer da viagem minha lua-de-mel. Meu casamento está marcado para o ano que vem. Gostaria de fazer um cruzeiro, mesmo que somente pela costa brasileira”, conta Alexandre. “Quanto ao vale-livros, devo comprar alguns de receitas e buscar uma nova trama policial”, completa o advogado. “Eu vou dividir os livros com minha noiva já que quero comprar livros de comédia e mistério e ela quer os romances”, revela Patrick.

Gostou? Então comente este post contando suas impressões sobre o Desafio Ler com Prazer e o que faz para reinventar a leitura em sua vida.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares