Lendas fantásticas sobre Luís de Camões

(1 Estrelas - 1 Votos)
5 fatos incríveis sobre o autor de Os Lusíadas

Alguns nomes da literatura são tão influentes que continuam presentes na cultura mesmo séculos depois de sua morte. Luís Vaz de Camões, que faleceu no dia 10 de junho de 1580, é um dos membros deste seleto clube. Seus poemas não só continuam maravilhando gerações de leitores como também foram fundamentais na formação das literaturas portuguesa e brasileira. Confira alguns fatos incríveis sobre sua vida. 

Ninguém sabe quantos anos Camões tinha

Quando o assunto é Camões, é muito difícil separar o que é lenda do que é realidade. A própria data de nascimento dele é uma questão debatida pelos estudiosos. As estimativas variam entre 1517 e 1525.

Ninguém sabe onde Camões nasceu

Se a data não é clara, imagine o local de nascimento. Muita gente sugere Coimbra; outros, Santarém. Contudo, a maioria parece optar por Lisboa. Dizem que o poeta era de família nobre, ligado aos vice-reis da Índia. Por isso, teve condições financeiras de fazer faculdade em Coimbra, numa época em que Portugal era o centro comercial do mundo. Ao mesmo tempo, não existe um só documento que comprove essa teoria. A não ser, é claro, Os Lusíadas, que provavelmente pode ser aceito como prova de vasta erudição na maioria dos tribunais.

Camões era bom de briga

O poeta é uma das poucas figuras históricas retratada com o olho fechado. Isso se deve ao fato dele, com formação militar, ter combatido no Norte de África, onde ficou cego de um olho. Apesar do ferimento de guerra, Camões tinha fama de boêmio que não fugia de um arranca-rabo nos becos de Lisboa, a ponto de ganhar o apelido de “Trinca-Fortes”.

Camões sobreviveu a um naufrágio

Aparentemente, Camões passou boa parte da vida em lugares como Índia e Macau. Quando não estava exercendo cargos administrativos para a Coroa Portuguesa, estava na cadeia, por razões diversas. Em um dos seus momentos de liberdade, o navio em que viajava afundou na foz do Rio Mecom, na China. Camões chegou às margens do rio à nado, carregando na boca os manuscritos de um poema em que ele trabalhava no momento do naufrágio: Os Lusíadas. A desventura chinesa foi incluída na obra, no “Canto X”, e publicada em 1572, quando Camões tinha 55 anos. Ou 47. Depende de quem conta a história.

Camões morreu pobre

O Frei José Índio descreveu os últimos momentos de Camões dessa forma: “Que cousa mais lastimosa ver um tão grande engenho mal logrado. Eu vi-o morrer num hospital de Lisboa sem ter um lençol com que cobrir-se.” O nobre D. Gonçalves Coutinho fez questão de que mandar colocar esta inscrição sobre a sepultura: “Aqui jaz Luís de Camões, príncipe dos poetas do seu tempo. Viveu pobre e miseravelmente e assim morreu”.

Conheça na Estante Virtual a obra completa de Luís de Camões.

 

Qual o seu poema favorito de Camões? Deixe seu comentário e participe da conversa.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares