Sete coisas que você não sabia sobre Anne Frank

(0 Estrelas - 0 Votos)

Anne Frank e o que você não sabia sobre ela

Em 2015, completaram-se 70 anos desde que Anne Frank morreu em Bergen-Belsen, Lohheide, Alemanha. Anne foi uma adolescente alemã de origem judaica levada a um campo de concentração aos quinze anos de idade. Mas ela também foi muito mais que isso. Seu diário sobre o período em que a sua família se escondeu da perseguição nazista foi publicado em 1947 e é considerado um dos livros mais importantes do século XX. Uma história tão tocante e famosa que ainda hoje comove milhares de pessoas. Conheça algumas curiosidades sobre esta obra.

  1. O presente que Anne ganhou no seu aniversário de 13 anos era, na verdade, um livro para colecionar autógrafos. Anne achou que seria mais útil fazer dele um diário. Quando as páginas acabaram, ela preencheu mais dois cadernos e cerca de 360 folhas de papel soltas.
  2. Anne escrevia na forma de cartas para uma pessoa chamada Kitty. Estudiosos divergem sobre a verdadeira identidade deste personagem. Para alguns, trata-se de uma amiga de escola. Para outros, trata-se de um personagem de um dos livros favoritos da autora.
  3. Anne e sua família foram encontrados através de uma denúncia anônima. Até hoje, não se sabe ao certo quem revelou o esconderijo da família Frank.
  4.  Anne morreu no campo de concentração, mas não em uma câmara de gás. Anne morreu de tifo três dias depois de sua irmã falecer. O campo foi liberado pelas tropas inglesas duas semanas depois.
  5. Das oito pessoas que estavam escondidas no anexo secreto, apenas uma sobreviveu. Otto Frank, pai de Anne, sobreviveu ao campo de Auschiwitz, liberado em janeiro de 1945.
  6. Algumas pessoas consideram O diário de Anne Frank pornográfico. Por ser um diário de uma garota passando pela puberdade, alguns trechos retratam a curiosidade de Anne com as transformações do próprio corpo.
  7. Em 1983, uma escola no Alabama tentou banir O diário de Anne Frank do seu currículo por se tratar de um livro “muito depressivo”.

 

Você já leu O diário de Anne Frank? Dê sua opinião e participe da conversa.


Quer receber dicas semanais de leitura?

Assine e receba dicas fresquinhas em seu e-mail toda semana.

Comentários

Rodrigo Espírito Santo

Rodrigo Espírito Santo

Colaborador em Estante Virtual
Mestre em Comunicação Social, MBA em Comunicação Corporativa, Pós-graduado em roteiro de audio visual. Mais de 15 anos de experiência em comunicação empresarial, endomarketing, redação publicitária, jornalística e de conteúdo para redes sociais.
Rodrigo Espírito Santo

Rodrigo Espírito Santo

Mestre em Comunicação Social, MBA em Comunicação Corporativa, Pós-graduado em roteiro de audio visual. Mais de 15 anos de experiência em comunicação empresarial, endomarketing, redação publicitária, jornalística e de conteúdo para redes sociais.

19 comentários em “Sete coisas que você não sabia sobre Anne Frank

  • 03.08.2017 a 1:58 pm
    Permalink

    Top Muito bem explicado

  • 28.04.2017 a 11:42 am
    Permalink

    Amo a Anne ❤ Nunca esqueceremos de você, Anne.

  • 28.04.2017 a 11:41 am
    Permalink

    Eu nunca entendi como as pessoas podem reclamar Anne Frank não era real ou o diário dela era uma falsificação — Porque ela foi re-Copiar o diário dela entradas para que ela pudesse um dia apresentá-los ao governo para fazer parte dos seus arquivos. (Lembras-te? Em 1944, um dos funcionários do governo holandês no exílio teve fez uma chamada, pelo rádio, para diários e cartas de alguém para ajudar a documentar a guerra e o holocausto. Anne ouviu esse discurso e conseguiu seu objetivo para buscar o diário dela pronta para apresentá-lo ao governo um dia. )

  • 01.01.2016 a 8:19 pm
    Permalink

    Obrigado por esse material maravilhoso, muito bom mesmo!

  • 01.01.2016 a 1:40 am
    Permalink

    Adorei o livro, muitas historias, situações engraçadas com ideias magicas para uma garota daquela época. super interessante.. vale a pena tb conhecer o livro a lista de schindler. Totalmente diferente do filme).

  • 30.12.2015 a 9:44 am
    Permalink

    Já li tanto, O diário de Anny Frank, quanto, Contos do Esconderijo. Simplesmente são fantásticos , apesar da realidade retratada. Proibi-lo seja de que forma for, é calar mais uma vez a voz daqueles que se foram. Depressivo é o que o ser humano foi e ainda é capaz refazer aos da sua mesma espécie.

  • 23.12.2015 a 6:41 pm
    Permalink

    Eu sabia de tudo isso… só o que vc não sabia é que quem achava o diário “obcseno” era o próprio pai dela, por isso ele lançou o primeiro livro de Anne com ‘corte’s por causa das revelações íntimas da filha, contudo, bem mais tarde, ele resolveu lançá-lo na íntegra tim tim por tim tim… rs ;)

  • 23.12.2015 a 3:59 pm
    Permalink

    Uma excelente história que nos foi permitido conhecer de forma muito generosa. Te faz analisar a si próprio, outras pessoas a espécie humana. Uma experiência inestimável. Os itens 6 e 7 não se sustentam.

  • 23.12.2015 a 2:10 pm
    Permalink

    Adoro livros e filmes baseados em fatos reais e fobre esse período da história melhor ainda, não porque foi um período de se orgulhar muito pelo contrário, mas a história contada por uma adolescente de um período muito triste que infelizmente aconteceu.

  • 20.03.2015 a 2:46 pm
    Permalink

    Pornografico??? deprimente???
    o livro é uma lição de vida, de persistência, de resistência pessoal e psicológica!!
    Um ótimo livro!
    nunca vi tantos detalhes numa só obra.

  • 20.03.2015 a 10:57 am
    Permalink

    Uma obra pornográfica? Enquanto sexualidade humana for vista de forma pecaminosa, algo a ser escondido, não apenas privado, confusões desta ordem vão acontecer. Se pudéssemos nos expressar da forma como Anne se expressou quão menos neuróticos seríamos.

  • 20.03.2015 a 9:19 am
    Permalink

    Sou um estudioso das dramáticas experiências vivenciadas pelos Judeus nos campos de concentração, e cada história me comove, e cada vez me torna ainda mais reflexivo e sensível diante de tamanha e horrenda catástrofe da dignidade humana. Sobretudo, “O Diário de Anne Frank” reluz, e trás a tona as angústias de tempos que passaram, os quais ficarão eternizados à exemplo de que isso nunca mais poderá existir. Recomendo a leitura de Médico em Auschuwitz, Manequins nus, O holocausto, …

  • 19.03.2015 a 3:40 pm
    Permalink

    Eu estou pensado seriamente em usa-lo para fazer meu TCC de tão bom que é, mas ainda estou no primeiro semestre rs Recomendo suuuuuperr

  • 19.03.2015 a 1:12 am
    Permalink

    Um livro comovente e extraordinário! Impossível não se emocionar…

  • 18.03.2015 a 10:33 pm
    Permalink

    É uns dos livros mais impactantes que tive o prazer de ler. Seu relato sobre os dias e dias que ficaram escondidos dos nazistas, até serem capturados; nos mostra sua maturidade diante das dificuldades, e sua certeza de que voltaria a estudar e que tudo acabaria bem. Amo sua perseverança até o fim.

  • 18.03.2015 a 10:04 pm
    Permalink

    O Diário de Anne Frank foi o primeiro livro que conseguir ler todo. E porque não dizer que foi o mais marcante!! Hoje ele e meu livro de cabeceira. E sempre que tenho oportunidade indico para alguém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares