6 livros para você entender as referências literárias no Enem 2019

(4.5 Estrelas - 2 Votos)

Chegou o momento de preparação dos estudantes para a prova. Veja alguns clássicos que já foram citados em outras edições

Para se sair bem no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2019), os vestibulandos concentram todo seu foco em disciplinas de Linguagens, Matemática, Ciências Humanas, Ciências da Natureza e na Redação. No entanto, os estudantes podem ter um desempenho diferenciado ao entender as referências de clássicos literários na prova, seja em textos de apoio ou até mesmo nas próprias questões.

Por isso, selecionamos seis livros que já foram citados de alguma forma em outras edições do Enem, como A hora da estrela, de Clarice Lispector, Capitães da areia, de Jorge Amado, e O cortiço, de Aluísio Azevedo. Confira a nossa lista completa e bons estudos!


A hora da estrela, de Clarice Lispector

Macabéa vive sem saber para quê. Depois de perder a tia, viaja para o Rio de Janeiro, aluga um quarto, emprega-se como datilógrafa e se apaixona por Olímpio de Jesus, que logo a trai com uma colega de trabalho. A hora da estrela conta os momentos de criação de Rodrigo, o escritor que narra a história de Macabéa. Ela sabia que a morte estava próxima e coloca um pouco de si nas personagens. Ele, um escritor à espera da morte; ela, uma solitária que gosta de ouvir a rádio Relógio.

A_Hora_da_Estrela

O cortiço, de Aluísio Azevedo

Crítico impiedoso da sociedade brasileira e de suas instituições, o romancista Aluísio de Azevedo abandonou as tendências românticas em que se formara tornar-se, influenciado por Eça de Queiroz, o criador do naturalismo no Brasil. O Cortiço é considerado a sua obra-prima. O livro narra, em linguagem vigorosa a vida miserável dos moradores de duas habitações coletivas.


Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis

Nada melhor do que começar a lista com um dos principais clássicos da literatura brasileira. Em Memórias póstumas de Brás Cubas, Machado de Assis retrata a história de um personagem tipicamente burguês, sem objetivos e bastante contraditório que resolve escrever sua história depois de morto, tornando-se o primeiro autor defunto da humanidade. A narrativa é marcada pela desordem cronológica, o excesso de transgressões e reflexões, e a aparente falta de conexão entre os pensamentos do narrador e o que é contado.


Capitães da areia, de Jorge Amado

Desde o seu lançamento, em 1937, Capitães da Areia causou escândalo: inúmeros exemplares do livro foram queimados em praça pública, por determinação do Estado Novo. Romance de formação, o livro nos torna íntimos de suas pequenas criaturas, cada uma delas com suas carências e suas ambições: do líder Pedro Bala ao religioso Pirulito, do ressentido e cruel Sem-Pernas ao aprendiz de cafetão Gato, do sensato Professor ao rústico sertanejo Volta Seca. 


Estrela da vida inteira, de Manuel Bandeira

Este livro é a reunião de toda obra poética de um dos fundadores do modernismo brasileiro. Resultado de mais de 50 anos de poesia, o volume traz, inclusive, os poemas traduzidos por Bandeira, além de versos de circunstância.


Vidas secas, de Graciliano Ramos

Vidas Secas é um dos principais romances de Graciliano Ramos. O que impulsiona os personagens é a seca, áspera e cruel, e paradoxalmente a ligação telúrica, afetiva, que expõe naqueles seres em retirada, à procura de meios de sobrevivência e um futuro.


O que você achou da lista? Bons estudos!


Gabriela Mattos

Analista de comunicação em Estante Virtual
Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.
Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Um comentário em “6 livros para você entender as referências literárias no Enem 2019

  • 11.07.2019 a 5:08 pm
    Permalink

    Que boas indicações de clássicos hein! Muito bom para se ler não apenas para o ENEM mas também desobrigadamente !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *