O regionalismo de Guimarães Rosa

(5 Estrelas - 1 Votos)

Escritor mineiro nasceu em 27 de junho de 1908 e é um dos principais nomes da literatura brasileira. Conheça suas obras!

Com fortes características regionalistas em seus livros, o escritor João Guimarães Rosa é um dos principais autores da literatura brasileira de todos os tempos. Nascido em 27 de junho de 1908, em Cordisburgo, Minas Gerais, mudou-se na infância para a casa dos avós, em Belo Horizonte. Aos 16 anos, matriculou-se no curso de medicina em uma universidade da região e, seis anos depois, exerceu a profissão, na cidade de Itaguara.

No mesmo ano, casou-se com Lígia Cabral Pena, com quem teve duas filhas. Durante o período em que trabalhou como médico, Guimarães Rosa teve contato com diversos elementos do sertão brasileiro, que depois influenciaram de maneira direta suas narrativas literárias. Serviu ainda como médico voluntário da Força Pública e foi médico-chefe do Hospital de Sangue.

Se todo animal inspira ternura, o que houve, então, com os homens?”

Além da carreira na medicina, ele também teve grande participação em cargos públicos da política no mundo, como cônsul em Hamburgo, entre 1938 e 1942, secretário de embaixada em Bogotá, até 1944, e chefe de gabinete do ministro João Neves da Fontoura, no Brasil, em 1953.

Na literatura

A estreia de Guimarães Rosa na literatura foi em 1929, com a publicação do conto O mistério de Highmore Hall, da revista O cruzeiro. Mas foi com o livro Sagarana, em 1946, que o escritor conquistou maior destaque no meio literário nacional. Marcada por elementos regionalistas, a narrativa da obra tem estrutura e linguagem inovadoras e experimentais.

Após uma excursão no Mato Grosso, em 1952, o autor escreveu o conto Entremeio: Com o vaqueiro Mariano, que hoje integra o livro póstumo Estas estórias. A partir desta viagem, Guimarães Rosa conheceu elementos fundamentais para a construção do seu principal clássico, Grande sertão: Veredas.

Integrante da Academia Brasileira de Letras (ABL), o escritor conquistou diversos prêmios, como o da própria ABL, e os prêmios Machado de Assis, Carmen Dolores Barbosa e Paula Brito. Para homenagear Guimarães Rosa, fizemos uma seleção com suas oito principais obras. Veja a lista e boa leitura!


Grande sertão: Veredas

A estilização das peculiaridades das falas sertanejas, sempre recorrente na obra de Guimarães Rosa, atinge seu auge neste consagrado romance. O autor reinventa a língua e eleva o sertão ao contexto da literatura universal, compondo o cenário de uma narrativa lírica e épica, uma lição de luta e valorização do homem. Grande sertão: Veredas recebeu nova edição da Companhia das Letras.


Primeiras estórias

Este também é um dos principais livros de João Guimarães Rosa. Nesta obra, ele reúne contos em que sobressaem os costumes e a linguagem das gentes de Minas. Inclui “A terceira margem do rio”, clássico da literatura transformado em filme por Nelson Pereira dos Santos em 1993.


Sagarana

Guimarães Rosa traz neste livro de contos o universo do sertão de Minas Gerais, narrados pelo viés do movimento modernista e com a linguagem já característica do autor. Entre os textos está A Hora e a Vez de Augusto Matraga, que relata a história de um homem intimidador que perde tudo e, após alguns percalços, decide recomeçar a vida em um pequeno povoado do interior.

sagarana-joao-guimaraes-rosa

Noites do sertão

As duas novelas deste livro têm como traço comum a sexualidade como força arrebatadora que se sobrepõe a convenções e preconceitos, e pode levar homens e mulheres tanto à plenitude do prazer quanto ao encontro de si mesmos. Dão-Lalalão é a história de Soropita, vaqueiro valentão, responsável por várias mortes, que se apaixona totalmente pela faceirice sensual de Doralda. Já Buriti narra o envolvimento de quatro pessoas que vivem numa fazenda, num clima de extrema sensualidade que os vai envolvendo pouco a pouco e provoca as mais inesperadas aproximações.


Manuelzão e Miguilim

As histórias desta obra complementam-se, como um começo e um fim de vida: a constante e dolorosa descoberta do mundo pelo menino Miguilim, de “Campo geral”, e o relembrar por vezes também doloroso do vaqueiro sessentão Miguelzão, de “Uma estória de amor”.


O recado do morro

Em O recado do morro, cinco homens – Pedro Osório, Alquiste, frei Sinfrão, Jujuca do Açude e Ivo de Tal – realizam uma travessia e encontram, pelas estradas por onde passam e nas fazendas onde recebem abrigo, pessoas que mudam suas formas de pensar o mundo.


Tutaméia

Último livro publicado em vida por João Guimarães Rosa, Tutaméia reúne 40 contos, os mais curtos de toda a obra do mineiro. Os textos revelaram que a genialidade do autor não se limitava às narrativas longas. O cenário, as personagens e o estilo inconfundível de Rosa estão presentes nestas histórias.


Fita verde no cabelo

Numa leitura de Chapeuzinho Vermelho, Guimarães Rosa mostra a trajetória das fantasias de uma adolescente até o confronto com a morte de sua avó, quando “mais se assustou, como se fosse ter juízo pela primeira vez”.


Qual seu livro favorito de Guimarães Rosa? Comente e participe!


Gabriela Mattos

Redatora em Estante Virtual
Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.
Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *