O protagonismo de Lygia Fagundes Telles na literatura brasileira

(5 Estrelas - 2 Votos)

Nascida em 19 de abril de 1923, premiada autora é integrante da Academia Brasileira de Letras e uma das principais escritoras do país

Uma das mais premiadas autoras, Lygia Fagundes Telles é conhecida como “a primeira dama da literatura brasileira” e considerada uma das principais escritoras do país. Ela nasceu em 19 de abril de 1923, em São Paulo, e iniciou a paixão por literatura ainda na adolescência. Com apoio de seu pai, publicou o primeiro livro de contos, Porão e sobrado, aos 15 anos.

Cursou Direito e Educação Física na Universidade de São Paulo (USP), na década de 1940, onde conheceu os escritores Mário e Oswald de Andrade. Ainda estudante, colaborou com os jornais Arcádia e A balança, vinculados à Academia de Letras da instituição.

Destaque na literatura

O início oficial da carreira de Lygia Fagundes Telles na literatura foi em 1944, quando a autora publicou o livro de contos Praia Viva. No entanto, segundo análise da própria escritora e de críticos literários, ela atingiu a maturidade na literatura após o lançamento de Ciranda de pedra (1954). Quase 30 anos depois, a obra foi adaptada para uma novela na TV Globo e conquistou ainda mais o público.

Lygia faz parte da terceira geração modernista, vista, por vezes, como um movimento pós-modernista. Neste grupo, que surgiu depois da Segunda Guerra Mundial, os escritores exploram a forma literária na prosa e na poesia, além de aprofundar os temas de maneiras mais inovadoras. Ao lado de Lygia, havia ainda autores como João Cabral de Melo Neto, Mário Quintana e Ariano Suassuna.

A beleza não está nem na luz da manhã nem na sombra da noite, está no crepúsculo, nesse meio tom, nessa incerteza.”

Aos 62 anos, a escritora foi eleita como integrante da Academia Brasileira de Letras (ABL). Aclamados pela crítica literária, os livros de Lygia já conquistaram diversas premiações, como os prêmios APCA, Jabuti e Camões, o principal da Língua Portuguesa.

Para homenagear Lygia Fagundes Telles, selecionamos sete dos livros de destaque da autora. Veja a lista completa e boa leitura!


As meninas

Em um pensionato de freiras paulistano, em 1973, três jovens universitárias começam sua vida adulta de maneiras bem diversas. A burguesa Lorena, filha de família quatrocentona, nutre veleidades artísticas e literárias. Namora um homem casado, mas permanece virgem. A drogada Ana Clara, linda como uma modelo, divide-se entre o noivo rico e o amante traficante. Lia, por fim, milita num grupo da esquerda armada e sofre pelo namorado preso.


Ciranda de pedra

Quando um casal de classe média se separa, a caçula, Virgínia, é a única das três filhas que vai morar com a mãe. É do ponto de vista dessa menina deslocada e solitária que se narram os dramas ocultos sob a superfície polida da família. Loucura, traição e morte são as forças perversas que animam esse singular romance de formação, que já na época de seu lançamento, em 1954, chamou a atenção para o talento e a originalidade da literatura de Lygia Fagundes Telles.


Antes do baile verde

Antes do baile verde é considerado por muitos críticos o livro de contos mais bem-sucedido de Lygia Fagundes Telles. Em A caçada, um homem fica a tal ponto intrigado com uma velha tapeçaria encontrada num antiquário que acaba por mergulhar na cena retratada na peça, como se tivesse participado dela numa outra vida ou numa outra dimensão. Já no macabro Venha ver o Pôr-do-Sol, um rapaz leva sua ex-namorada a um jazigo de família abandonado.


As horas nuas

Rosa Ambrósio, uma atriz de teatro decadente, passa em revista os amores de sua vida. O primo Miguel, sua paixão adolescente, morreu de overdose aos 20 anos. Gregório, seu marido, virou um homem taciturno depois que foi torturado pela ditadura militar. Diogo, seu amante e último companheiro, trocou-a por moças mais jovens. Alternando vozes e pontos de vista, passando do fluxo interno de consciência à narrativa em terceira pessoa, Lygia Fagundes Telles atesta aqui sua maestria literária e sua maturidade artística.


Seminário dos ratos

Em Seminário dos Ratos, publicado pela primeira vez em 1977, Lygia Fagundes Telles explora regiões recônditas da psique e do comportamento humanos. Nas 14 histórias, a autora se aventura pelo fantástico como modo privilegiado de acesso ao real. Mas o fantástico de Lygia recusa as facilidades do chamado realismo mágico, apresentando-se a cada vez de maneira diversa e surpreendente.


Oito contos de amor

Por meio da temática amorosa, em Oito contos de amor, a autora descreve detalhadamente a alma de suas personagens. Dor, alegria, paixão, amargura, desejo e solidão misturam-se e revelam-se na perplexidade e no encantamento próprios do amor.


O segredo e outras histórias de descoberta

Escritos por Lygia Fagundes Telles em fases distintas de sua carreira, os cinco contos reunidos nesta coletânea têm em comum o ponto de vista de uma criança ou de um adolescente. Seja o narrador menina ou menino, seja o tema a descoberta do amor ou a frustração perante um segredo de família, as crianças que figuram no livro não têm nome próprio, tampouco se caracterizam por uma faixa etária específica. O que as une é a experiência transformadora do amadurecimento, das situações aparentemente banais que se desdobram e se aprofundam.


Qual seu livro favorito de Lygia Fagundes Telles?


Gabriela Mattos

Redatora em Estante Virtual
Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.
Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *