Escritores como protagonistas no Youtube

(5 Estrelas - 1 Votos)

Em seus próprios canais, autores falam sobre literatura, política e notícias do momento. Conheça alguns deles!

Nos últimos anos, houve uma explosão de canais sobre literatura no Youtube. Em seus vídeos, os booktubers produzem resenhas de livros, entrevistam escritores e também fazem os famosos ‘unboxing’, quando recebem uma encomenda (ou presente) de uma editora e abrem na frente da câmera para mostrar aos seguidores. Mas você sabia que alguns autores também já estão divulgando vídeos no Youtube?

Em dezembro de 2018, a historiadora Lili Schwarcz começou a produzir vídeos para sua conta própria, o Canal da Lili, onde ela comenta sobre política e história do Brasil. Em três meses, a escritora já conquistou mais de 14,5 mil inscritos. Com mais de seis mil visualizações, um dos vídeos de maior destaque é o que ela explica o Carnaval brasileiro.

Nascida em 27 de dezembro de 1957, em São Paulo, Lili ficou conhecida no meio literário com o livro Brasil: uma biografia. Publicada em 2015 em parceria com Heloisa Starling, a obra traça um panorama histórico do país, incluindo a política, a economia, a cultura e as minorias.

Lili e Heloisa mantêm ainda diálogo constante com aqueles autores que, antes delas, se lançaram na difícil empreitada de tentar interpretar ou, pelo menos, entender o Brasil. A história que surge dessas páginas é a de um longo processo de embates e avanços sociais inconclusos.

Outro canal de destaque no Youtube é do filósofo Luiz Felipe Pondé, autor de Filosofia para corajosos, que tem mais de 550 mil seguidores. Nos vídeos, ele explica questões do nosso cotidiano, como a pergunta Como lidar com o desespero de perder quem você ama?. Influenciado por Friedrich Nietzsche, Pondé adota aforismos sobre o nosso dia a dia e se baseia em ideias pessimistas.

Amor para corajosos é uma de suas principais obras. Nela, o filósofo conduz o leitor por um passeio sobre a temática do amor. No entanto, não se trata de um manual para amar melhor e nem de um estudo acadêmico. Elucidativos, os ensaios deste livro podem ser lidos de forma aleatória ou na ordem sugerida por Pondé.

O foco principal é o amor romântico chamado pelos medievais de “doença da alma”. Ele utiliza a filosofia, as ciências sociais e a cultura para analisar questões eternas e outras mais contemporâneas, tais como “O amor pode conviver com rotinas? O amor tem cura?”.

Na mesma linha de Pondé, há também os vídeos do filósofo Mario Sergio Cortella, que já ultrapassou 490 mil seguidores. No Canal do Cortella, ele responde a perguntas dos espectadores e discute questões filosóficas. Um dos mais acessados é Como contei para o meu pai que eu faria filosofia, publicado em 1º de abril, com mais de 40 mil visualizações.

As obras de Cortella têm conquistado cada vez mais leitores no país. Um dos livros de maior destaque é Por que fazemos o que fazemos?, publicado em 2016, no qual ele expõe aflições sobre carreira, trabalho e realização. Em 20 capítulos, o filósofo mostra a importância em ter uma vida com propósito e revela como manter a motivação em tempos difíceis.

Não podemos deixar de citar também o canal do médico Drauzio Varella, autor de livros como Estação Carandiru, Correr: o exercício, a cidade e o desafio da maratona e Carcereiros. Em um tom irônico, tira dúvidas do público, divulga notícias e ainda entrevista especialistas da área da saúde. Criado em 2011, o canal reúne mais de 1,2 milhão de inscritos.

Um dos principais livros de Drauzio Varella é Estação Carandiru, baseado em dez anos de atendimento voluntário na Casa de Detenção de São Paulo, o maior presídio do Brasil. Em meio a sete mil presos, ele conheceu alguns personagens marcantes, como Mário Cachorro, Roberto Carlos e seu Jeremias.

Independentemente da pena de cada um, todos eles seguiam um “regime penal não escrito”, criado pelos próprios presos na penitenciária. Neste livro, Varella dispõe-se a trata as pessoas de acordo com as individualidades e suas personalidades.

Com 27 mil seguidores, o canal da escritora Maria Homem também é outro destaque no Youtube. Nos vídeos, a autora fala sobre questões feministas, como sororidade, e ainda notícias do dia a dia, como as tragédias de Brumadinho e do Centro de Treinamento do Flamengo. A professora de psicanálise discute ainda temas sobre literatura, comunicação, cultura e subjetividade.

No livro No limiar do silêncio e da letra, Maria Homem dá visibilidade na construção e na crise da subjetividade contemporânea ao mediar o encontro entre a escritora Clarice Lispector e um dos pilares da psicanálise moderna, Jacques Lacan.

Na obra, ela responde aos questionamentos: De que forma a psicanálise pode contribuir para a renovação da leitura crítica das obras de Clarice Lispector? No século XXI, o que ainda temos a escutar de Clarice?


Qual você incluiria na lista? Comente e participe!


Gabriela Mattos

Gabriela Mattos

Redatora em Estante Virtual
Gabriela é jornalista e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea brasileira e jornalismo literário.
Gabriela Mattos

Últimos posts por Gabriela Mattos (exibir todos)

Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea brasileira e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares