[Resenha] Em livro de contos, Conceição Evaristo escancara violência contra mulheres negras

(2.8 Estrelas - 8 Votos)

Marcado pela ‘escrevivência’ da autora, Insubmissas lágrimas de mulheres mostra as dores sofridas por mulheres na sociedade

A sensibilidade e a empatia são duas características comuns aos textos da escritora Conceição Evaristo, e essas marcas estão evidentes no livro Insubmissas lágrimas de mulheres. Publicada em 2011, a obra foi baseada em entrevistas reais da autora com mulheres negras de todas as idades. No entanto, antes de narrar os 13 contos, Conceição alerta logo sobre a veracidade das histórias das personagens.

“Estas histórias não são totalmente minhas, mas quase que me pertencem (…). Invento? Sim, invento, sem o menor pudor (…). Desafio alguém a relatar fielmente algo que aconteceu”. Independentemente se os casos são ou não ficcionais, o livro é fundamental para entendermos e visualizarmos a violência e as dores sofridas diariamente pelas negras na sociedade.

Na maioria das vezes, Conceição escreve os contos em primeira pessoa, mostrando também o momento em que ela se encontra com as entrevistadas. No entanto, ao longo da narrativa, a autora mescla as vozes e dá o protagonismo para essas mulheres. De forma empática, a escritora retrata as dores e a violência sofridas diariamente por negras na sociedade.

Uma das histórias mais marcantes do livro é a de Shirley Paixão, que tentou matar seu marido após ele agredir e abusar de uma de suas enteadas. Antes de se casar com Shirley, o homem era casado com outra mulher, mas ela morreu. Ao mudar-se para a casa de sua nova esposa, ele levou suas três filhas.

A mais velha, Seni, mostrou-se, desde o início, uma menina mais arredia e calada dentro de casa. Com o passar do tempo, a criança, de 9 anos, também mudou o comportamento na escola, o que chamou a atenção dos professores. Até que um dia, Seni foi atacada pelo próprio pai, pediu socorro e foi salva por Shirley.

Foi assim (…) quando vi caído o corpo ensanguentado daquele que tinha sido o meu homem, nenhuma compaixão eu tive. E, se não fosse uma vizinha, eu continuaria o meu insano ato”

Insubmissas lágrimas de mulheres é um livro que retrata temas intensos e assustadores de forma sensível. É uma obra que exemplifica o trabalho delicado de Conceição Evaristo.

Sobre a autora

Nascida em 29 de novembro de 1946, em uma comunidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais, Conceição Evaristo foi criada em uma família pobre e chegou a trabalhar como empregada doméstica. Doutora pela UFF e Mestra pela PUC-Rio, graduou-se em Letras pela UFRJ.

Publicou seu primeiro poema em 1990 no Cadernos Negros. Militante ativa, suas obras abordam questões raciais, de gênero e de classe. Em 2017, teve o romance Ponciá Vicêncio, de 2003, publicado em inglês nos Estados Unidos e, em 2015, venceu o Prêmio Jabuti de Literatura com Olhos D’água na categoria Contos e Crônicas. Conheça algumas obras da autora!


Olhos d’água

Em Olhos d’água, Conceição Evaristo ajusta o foco de seu interesse na população afro-brasileira abordando, sem meias palavras, a pobreza e a violência urbana que a acometem. Sem sentimentalismos, mas sempre incorporando a tessitura poética à ficção, seus contos apresentam uma significativa galeria de mulheres: Ana Davenga, a mendiga Duzu-Querença, Natalina, Luamanda, Cida, a menina Zaíta.


Ponciá Vicêncio

A história de Ponciá Vicêncio descreve os caminhos, as andanças, as marcas, os sonhos e os desencantos da protagonista. A autora traça a trajetória da personagem da infância à idade adulta, analisando seus afetos e desafetos e seu envolvimento com a família e os amigos. Discute a questão da identidade de Ponciá, centrada na herança identitária do avô e estabelece um diálogo entre o passado e o presente, entre a lembrança e a vivência, entre o real e o imaginado.


Becos da memória

Neste livro, Conceição Evaristo traduz, a partir de seus muitos personagens, a complexidade humana e os sentimentos profundos dos que enfrentam cotidianamente o desamparo, o preconceito, a fome e a miséria; dos que a cada dia têm a vida por um fio. Sem perder o lirismo e a delicadeza, a autora discute, como poucos, questões profundas da sociedade brasileira.


Histórias de leves enganos e parecenças

Conceição Evaristo nos oferece um livro inovador com 12 contos e uma novela, nesses tempos de conturbação política. Dizemos inovador porque, mesmo que se comprove a existência de elementos discursivos recorrentes nos livros anteriores, em Histórias de leves enganos e parecenças, Conceição toma a decisão de percorrer a seara do insólito, do estranho e do imprevisível.


Qual seu livro favorito de Conceição Evaristo?


Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela Mattos

Redatora em Estante Virtual
Gabriela é jornalista e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea brasileira e jornalismo literário.
Gabriela Mattos

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea brasileira e jornalismo literário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares