Abertura da Flip 2018 evoca Hilda Hilst e homenageia mulheres

(3.2 Estrelas - 13 Votos)

Sob aplausos, a atriz Fernanda Montenegro declamou trechos de textos da escritora. Público também assistiu à cerimônia na Praça da Matriz

Começou o maior evento literário do Brasil! A 16ª edição da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip 2018) iniciou em grande estilo nesta quarta-feira, 25. A cerimônia de abertura evocou Hilda Hilst, autora homenageada do evento deste ano, e celebrou as mulheres. Sob aplausos e muita emoção, a atriz Fernanda Montenegro declamou trechos de textos da escritora marcados pelo caráter político, erótico, cômico e metafísico de Hilda.

“Sempre me perguntaram por que eu escrevo, e uma palavra que eu não tinha lembrado – talvez quem sabe por amor próprio – é a palavra debilidade. É uma sensação de debilidade maior do que de força, o ato de escrever”, leu Fernanda. No fim, a atriz enfatizou: “Maravilhosa Hilda Hilst, inesgotável Hilda Hilst, amada Hilda Hilst”.

Com uma apresentação especial, a compositora Jocy de Oliveira participou da cerimônia. A artista leu trechos de seu trabalho autoral e também homenageou Hilda. Na sessão, a curadora da Flip, Joselia Aguiar, enalteceu ainda a importância do festival literário. “A nossa abertura é um símbolo de artes e gêneros que não têm fronteiras entre si. Teatro, música e literatura integrados”, afirmou Joselia.

Além da Tenda dos Autores, o público também lotou o gramado da Praça da Matriz para assistir à abertura do telão. Nem mesmo a chuva fina que caiu durante a noite em Paraty desanimou a plateia.

Casa Philos

Localizada na Rua Dona Geralda, a Casa Philos estreou na Flip 2018 nesta quarta-feira, 25. Em parceria com a Revista Philos, a Estante Virtual também está marcando presença no festival dentro da casa.

Além de assistir às mesas de palestras sobre literatura e mercado editorial, o público pode ainda participar dos murais interativos preparados com carinho pela equipe da Estante Virtual. Veja a nossa programação completa e curta a Flip!

Conheça alguns livros de Hilda Hilst:


Pornô Chic 

A Trilogia Obsena é formada por O caderno rosa de Lori Lamby, Contos d’escárnio – textos grotescos, Cartas de um sedutor e ao livro de poemas Bufólicas. Pornô chic reúne os quatro títulos, ilustrados, traz o inédito Fragmento pornográfico rural e fortuna crítica que aborda a polêmica fase erótica de Hilst. Considerados pela autora uma ‘experiência radical e divertida’, estes livros misturam humor, críticas à sociedade, todo tipo de práticas sexuais e referências a autores célebres pelo erotismo como Henry Miller e Georges Bataille. A leitura de Pornô Chic revela o quanto Hilst pode ser irônica, debochada e divertida sem perder o refinamento.

Pornô Chic, de Hilda Hilst


Cantares

Cantares reúne dois livros de poemas, publicados, respectivamente, em 1983 e 1995; ”Cantares de Perda e Predileção” e ”Cantares do Sem nome e de Partidas”. Obras breves, ambas constituem um dos instantes mais densos do lirismo hilstiano, que aqui revisita o tema do amor, dentro da melhor tradição da língua portuguesa.

Cantares, Hilda Hilst


Estar sendo, ter sido

Estar Sendo, ter sido é o último livro em prosa escrito por Hilda Hilst. A obra pode ser apresentada como um longo fluxo de consciência de um homem que, ao completar 65 anos, descobre que não tem nada de mais urgente ou relevante a fazer do que se preparar para o último acontecimento de sua vida: o momento de sua morte. Deixar-se abandonar pela mulher é a primeira providência que toma, mas a sua memória e a de outras amantes é excitada ainda pelas presenças do irmão e do filhos.

Estar sendo, ter sido


Você está acompanhando a Flip 2018? Comente e participe!

[wysija_form id=”5″]
Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista, editora do Estante Blog e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea e jornalismo literário.

Um comentário em “Abertura da Flip 2018 evoca Hilda Hilst e homenageia mulheres

  • 29.07.2018 a 10:07 am
    Permalink

    Parando aos 65 anos? Não Hilda Hilst, sua energia é inesgotável. Dê uma boa caminhada, faça uma linda viagem, se energize e retome seu admirável destino…escrever. Felicidades!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *