Os 10 livros mais vendidos em junho

(2.3 Estrelas - 12 Votos)

Lista inclui clássicos, como O pequeno príncipe, e obras contemporâneas, como A sutil arte de ligar o f*da-se. Veja a nossa seleção completa!

As leituras continuaram a todo vapor em junho! Neste último mês, o campeão de vendas no site da Estante Virtual foi O alienista, de Machado de Assis. Publicada em 1882, a célebre novela explora com bom humor um assunto que, até então, ainda não era muito abordado na literatura brasileira: a loucura. O segundo lugar foi ocupado por O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry, outro clássicos dos clássicos. Ranking também inclui obras mais atuais, como A arte sutil de ligar o f*da-se, de Mark MansonComo fazer amigos e influenciar pessoas, de Dale Carnegie. Ficou curioso? Confira a lista completa!


O alienista, de Machado de Assis

Em O alienista, Machado de Assis narra a história do Dr. Bacamarte, que casa com sua mulher por achar que ela teria características mentais e físicas pra ter um filho. No entanto, isso não ocorre e ele se aprofunda nos estudos sobre a loucura. A partir disso, cria uma espécie de manicômio, denominado de Casa Verde, que logo fica cheio de pacientes. O médico fica obcecado por seu trabalho, começa a enxergar a loucura em todos e interna todas as pessoas que o espantavam.

 

O alienista, Machado de Assis


O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry

Publicado pela primeira vez em 1945, O Pequeno Príncipe é um dos principais clássicos da literatura e é um dos mais vendidos do mundo, ficando atrás apenas da Bíblia. Por meio de imagens simbólicas, diversos aspectos autobiográficos estão presentes na obra. Passagens de ordem temporal do autor estão ali presentes, como casamento, separação, sonhos e decepções. Os dois personagens tornam-se representações do próprio Saint-Exupéry, em um monólogo interior entre o “eu” e o “outro”.

O pequeno príncipe


Como fazer amigos e influenciar pessoas, de Dale Carnegie

Este é um best-seller obrigatório para quem busca sucesso na vida pessoal e profissional. Na nova edição, o livro analisa o impacto da Internet e das redes sociais na comunicação humana. Com exemplos verídicos, a obra orienta sobre formas de conduta adequadas a esses novos meios de relacionamento social. Como fazer amigos e influenciar pessoas contempla a nova etiqueta em construção no mundo virtual, incluindo o fenômeno “cyberbullying”.

 

Como fazer amigos e influenciar pessoas


Dom Quixote, de Miguel de Cervantes

Dom Quixote, de Miguel de Cervantes, é outro clássico da literatura mundial. A história mostra um ingênuo senhor rural cujo passatempo favorito era a leitura de livros de cavalaria. Na sua obsessão, acreditava integralmente nas aventuras escritas e decide tornar-se um cavaleiro andante. Combatendo as injustiças, o personagem enfrenta situações penosas, mantendo, porém, uma figura nobre e patética.

 

Dom Quixote, de Miguel de Cervantes


A sutil arte de ligar o f*da-se, de Mark Manson

Essa é a segunda vez que A sutil arte de ligar o f*da-se, de Mark Manson, entra na lista dos mais vendidos da Estante Virtual! De forma crítica, o autor propõe um novo caminho rumo a uma vida melhor, mais coerente com a realidade e consciente dos nossos limites. Chega de se sentir inferior por não ver o lado bom das situações e de se torturar para pensar positivo até nos momentos ruins. Por meio de piadas e exemplos inusitados, ele deixa o leitor mais aleta e capaz para enfrentar os desafios na sociedade.

A sutil arte de ligar o f*da-se, de Mark Manson


Capitães da areia, de Jorge Amado

Publicado em 1937, Capitães da Areia retrata a vida urbana de meninos pobres e infratores, uma história atemporal. Romance de criação, o livro nos torna íntimos dos personagens, como o líder Pedro Bala, o religioso Pirulito, o ressentido Sem-Pernas e o cafetão Gato. Jorge Amado aproxima o leitor das histórias dos meninos e contagia com um intenso desejo de liberdade.

Capitães da areia, Jorge Amado


A elite do atraso, de Jessé de Souza

Em A elite do atraso, o sociólogo Jessé de Souza escancara o pacto dos donos do poder para perpetuar uma sociedade cruel forjada na escravidão. Inovadora, a obra é marcada por um texto crítico e acessível. É um livro ideal para quem quiser entender e analisar o histórico escravocrata do Brasil.


Quarto de despejo – Diário de uma favelada, de Carolina Maria de Jesus

O duro cotidiano da favela ganha uma dimensão universal no diário de uma catadora de lixo. Com uma linguagem simples e escrito em primeira pessoa, o livro Quarto de despejo retrata a história de uma mulher negra, catadora de lixo, pobre e semianalfabeta. A personagem conta o que viveu, sem artifícios ou fantasias, representando a voz dos excluídos e marginalizados na nossa sociedade desigual. O contexto da obra, que se passa entre os anos 1955 e 1960, inclui fatos políticos e sociais importantes no Brasil.

Quarto de despejo, Carolina Maria de Jesus


Dom Casmurro, de Machado de Assis

Um dos maiores enredos da história da literatura universal, Dom Casmurro tem o poder de transitar por todos os públicos. Machado de Assis escreveu o romance em que Capitu, a menina “dos olhos oblíquos e dissimulados” e “de olhos de ressaca”, nos deixa um eterno suspense, até hoje indecifrável. Apesar de o autor ter se dedicado em dar pistas aos leitores sobre o grande mistério do livro, a alma da personagem é até hoje “um labirinto sem saída” entre os episódios, personagens e sensações.

Dom Casmurro, de Machado de Assis


A revolução dos bichos, de George Orwell

A revolução dos bichos foi escrito durante a Segunda Guerra Mundial e causou desconforto ao satirizar a ditadura stalinista em uma época em que os soviéticos eram aliados ao Ocidente na luta contra o eixo nazifascista. De fato, são claras as referências, como o despótico Napoleão que seria Stálin e os eventos políticos da União Soviética. Mais de 60 anos depois da publicação, o livro continua sendo atemporal. 

A Revolução dos Bichos


O que achou da lista? Comente e participe!

[wysija_form id=”5″]
Gabriela Mattos

Gabriela Mattos

Redatora em Estante Virtual
Gabriela é jornalista e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea brasileira e jornalismo literário.
Gabriela Mattos
Comentários

Gabriela Mattos

Gabriela é jornalista e foi repórter em um jornal carioca. Viciada em comprar livros, é apaixonada por literatura contemporânea brasileira e jornalismo literário.

Um comentário em “Os 10 livros mais vendidos em junho

  • 04.07.2018 a 6:31 pm
    Permalink

    Estou louco para ler “Quarto de despejo – Diário de uma favelada”. Livro importante!
    A lista ficou show e repleta de clássicos importantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares