F. Scott Fitzgerald, o grande autor americano

(2.7 Estrelas - 30 Votos)

F. Scott Fitzgerald morreu há 77 anos, mas sua obra foi imortalizada na literatura e inspira até hoje diversas formas de arte.

Francis Scott Key Fitzgerald, mais conhecido como F. Scott Fitzgerald, nasceu em 24 de setembro de 1896 em Saint Paul, Hollywood. É considerado tanto pelo público quanto pela crítica, como o criador da Belle Époque da literatura norte-americana. Movimento também conhecido como a “geração perdida”, da qual Ernest Hemingway também fazia parte.

Fitzgerald foi um escritor, romancista, contista, roteirista e poeta, e conheceu suas aspirações literárias desde muito cedo. De família católica e irlandesa, o autor frequentou a Universidade de Princeton, mas não deu continuidade aos estudos e focou-se apenas na escrita. Em 1920, lançou seu primeiro livro, Este lado do paraíso, que lhe abriu diversas portas de publicações de grande prestígio.

Fascinado pelo frenesi causado pelo American way of life e o consumismo da década de 1920, Fitzgerald se inspirou na sociedade de sua época para compor suas obras, geralmente acompanhadas de um tom autobiográfico. Com a esposa e também escritora Zelda Fitzgerald, ficou conhecido por sua vida social agitada nos círculos mais prestigiados da literatura, da música e do cinema.

F. Scott Fitzgerald e sua esposa Zelda Sayre, em 1919.

Depois de ter vivido o auge da conhecida “era do jazz” em Paris, F. Scott Fitzgerald, já abalado com o alcoolismo e pela temporada que sua esposa Zelda passou em um hospício, retornou para Hollywood para trabalhar como roteirista cinematográfico. Em 1939, poucos anos antes de sua morte em 21 de dezembro de 1940, o autor começou a trabalhar em seu último romance, O último magnata, que assim como em O grande Gatsby, retratava – e criticava – a essência de uma geração perdida entre os excessos, a superficialidade e a euforia do início do século.

Confira as principais obras de F. Scott Fitzgerald!


O grande Gatsby, de F. Scott Fitzgerald

Neste que é um dos maiores clássicos da literatura norte-americana, O grande Gatsby, narra os tempos de Jay Gatsby, um generoso e misterioso anfitrião que abre a sua luxuosa mansão às festas mais extravagantes – onde o jazz é a música do momento, a riqueza parece estar em toda parte, o gim é a bebida nacional (apesar da lei seca) e o sexo se torna uma obsessão social.

O grande Gatsby


Suave é a noite, de F. Scott Fitzgerald

Em tom autobiográfico, este livro narra a história de Dick Diver, um psiquiatra que se casa com a paciente Nicole Warren. A vida do casal não é mais do que uma farsa – dominados pelo tédio, incapazes de dialogar, entre intermináveis coquetéis, recepções e dinheiro, vivem numa atmosfera de falsa euforia.

Suave é a noite


O curioso caso de Benjamin Button, de F. Scott Fitzgerald

Esta é a peculiar e conhecida saga de um homem que “nasceu” com 70 anos e misteriosamente envelhece ao contrário dos outros humanos. Esta fantástica adaptação em quadrinhos ilustra as diversas aventuras de Benjamin Button: ele se apaixona, tem uma família e cria um negócio de sucesso. Ao envelhecer, ele fica igual a um bebê recém nascido e volta aos cuidados do berço.

O curioso caso de Benjamin Button


Este lado do paraíso, de F. Scott Fitzgerald

Primeiro romance do autor, Este lado do paraíso retrata uma época – a década de 1920 nos Estados Unidos, de prosperidade e modernização – e também um momento de transição na cultura americana. Amory Blaine, o protagonista do livro, é um jovem com aspirações literárias e obcecado por prestígio social. Não tem compromisso com qualquer ordem moral e promove a celebração de um egoísmo aristocrático que, naquele tempo, era comum.

Este lado do paraíso


Seis contos da era do jazz, de F. Scott Fitzgerald

Seis contos da era do jazz e outras histórias, escrito em 1922, reúne os mais emblemáticos contos do consagrado escritor norte-americano. “Era do Jazz”, o nome dado por F. Scott Fitzgerald ao momento de frenesi vivido nos EUA, principalmente, e também na Europa pós-Primeira Guerra, significava muito mais que música. Toda uma geração parecia querer aproveitar cada momento como se fosse o último – e mal sabiam que toda a euforia da década acabaria com a crise de 1929. 

Era do jazz


Qual é o seu livro favorito de F. Scott Fitzgerald?


Quer receber dicas semanais de leitura?

Assine e receba dicas fresquinhas em seu e-mail toda semana.

Thayane Maria

Thayane Maria

Redatora em Estante Virtual
Thayane Maria, jornalista e cinéfila. Além de escrever para o Estante Blog, também mantém os seus blogs pessoais no Medium e no Wordpress: @Msmidnightlover e Missmidnightlover. Vive em eterna busca pelo excêntrico.
Thayane Maria
Comentários

Thayane Maria

Thayane Maria, jornalista e cinéfila. Além de escrever para o Estante Blog, também mantém os seus blogs pessoais no Medium e no Wordpress: @Msmidnightlover e Missmidnightlover. Vive em eterna busca pelo excêntrico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares