Lou Andreas Salomé, a mulher por quem Nietzsche chorou

(2.9 Estrelas - 156 Votos)

Lou Andreas Salomé foi uma escritora, psicanalista e intelectual do século XX, além de ter sido uma grande inspiração para alguns dos homens mais importantes do mundo.

Nascida em St. Petersburg, em 1861, Lou Andreas Salomé era filha de um general do exército de Czar e teve sua educação restrita apenas às aulas particulares de um pastor protestante. Aos 19 anos, iniciou seus estudos em Teologia e História da Arte em Zurique. Em uma ida à Roma, conheceu um dos maiores filósofos de todos os tempos: Nietzsche, que estava acompanhado de um amigo e também filósofo Paul Rée. Ambos se apaixonaram por Salomé e a pediram em casamento. No entanto, após recusar o pedido dos dois amigos, Salomé teria sugerido um menáge a trois – mas em um sentido intelectual.

Apesar de à princípio ter negado o pedido de Paul Rée, mais tarde Lou decidiu fugir com ele – o que deixou Nietzsche completamente arrasado. Segundo fontes, ela explicou a ele que seu amor era apenas intelectual, e não físico ou romântico. Especula-se que o agravamento da doença que levou o filósofo à morte foi resultado deste amor não correspondido que Nietzsche nutriu até o fim de sua vida. Em carta ao seu editor, Nietzsche falou um pouco sobre seus sentimentos em relação a partida de Salomé: “Minha relação com Lou está nos últimos e mais dolorosos momentos. Pelo menos assim o creio hoje. Mais tarde – se houver um mais tarde – quero dizer uma palavra a respeito. Compaixão, meu caro amigo, é uma espécie de inferno”, desabafou o filósofo.

Lou Andreas Salomé

Os meios revolucionários da Europa

Após o suicídio de Paul Rée, em 1902, Salomé entrou em uma profunda depressão, a qual o médico austríaco Friedrich Pineles a ajudou a se recuperar. Da amizade nasceu um caso amoroso que resultou em um aborto voluntário de Lou. Após o incidente, Salomé passou a viajar pela Europa, frequentando os meios sociais mais revolucionários de sua época, vivendo por muitos anos entre as cidades de Berlim, Munique, Paris e Viena. Com a efervescência intelectual que vivia e sua profunda admiração pela filosofia, lançou o seu primeiro livro no começo do século, chamado Na luta por DeusPouco tempo depois, comprovou a sua grande admiração pelo amigo Nietzsche, publicando seu segundo livro: Friedrich Nietzsche e sua obra.

Lou era uma mulher à frente do seu tempo: gostava de falar abertamente sobre sexo e erotismo, e tinha um grande interesse por assuntos polêmicos e proibidos para uma mulher em sua época. Desta forma, despertou em muitos homens paixões que beiravam à loucura. Um deles foi o professor universitário Friedrich C. Andreas que, segundo a história, teria ameaçado se suicidar caso Salomé não se casasse com ele. E ela o fez. No entanto, existem boatos que o casamento nunca chegou a ser consumado. Algum tempo depois, conheceu o poeta alemão Rainer Maria Rilke, 14 anos mais jovem do que a escritora, por quem ela se apaixonou. Do relacionamento nasceu um livro com as correspondências que trocaram durante anos, Briefwechsel mit Rilke, em tradução livre Correspondência com Rilke.

Da esquerda para direita: Lou Andreas Salomé, Paul Rée e Friedrich Nietzsche .

Freud: amizade e paixão pela psicanálise

Em 1911, com 50 anos de idade, Lou conheceu Sigmund Freud através de amigos interessados por psicanálise. Foi a primeira mulher a ser aceita no círculo psicanalítico de Viena, e tornou-se amiga pessoal e discípula de Freud. A amizade entre os dois durou pelo resto de suas vidas, na qual Salomé era uma das poucas pessoas que o famoso psicanalista confiava seus pensamentos mais íntimos.

Lou Andreas Salomé foi uma mulher pioneira, tanto no aspecto intelectual quanto no comportamental, e foi essencial na vida de alguns dos pensadores mais importantes de todos os tempos. Mas, apesar de sua inteligência e de sua obra, a fama e o legado foram herdados apenas pelos nomes masculinos com quem se envolveu. Lou faleceu aos 76 anos em 1937, e além de ter inspirado alguns dos homens mais importantes do mundo, foi acima de tudo uma mulher livre, independente, uma grande intelectual e ícone feminino do século XX.

Confira as suas obras!

 

Você já conhecia a história da autora? Conta pra gente!


Quer receber dicas semanais de leitura?

Assine e receba dicas fresquinhas em seu e-mail toda semana.

 

Comentários

Thayane Maria

Thayane Maria

Redatora em Estante Virtual
Thayane Maria, jornalista e cinéfila. Além de escrever para o Estante Blog, também mantém o seu blog no Medium: @Msmidnightlover. Vive em eterna busca pelo excêntrico.
Thayane Maria

Thayane Maria

Thayane Maria, jornalista e cinéfila. Além de escrever para o Estante Blog, também mantém o seu blog no Medium: @Msmidnightlover. Vive em eterna busca pelo excêntrico.

Um comentário em “Lou Andreas Salomé, a mulher por quem Nietzsche chorou

  • 11.11.2017 a 10:53 am
    Permalink

    Ótimo tema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares