5 livros e 5 fatos sobre John Lennon

A música Imagine comemora hoje 46 anos do seu primeiro lançamento, nos Estados Unidos.

O single clássico ganhou a fama de pacifista por conta de seus versos que clamavam pelo fim da guerra, pela união entre homens e países, além de dar a entender que não existia um paraíso após a morte nos versos “Imagine there’s no heaven, it’s easy if you try” (Imagine que não há um paraíso, é fácil se você tentar). Por conta disto, foi proibida de ser cantada em funerais, por um tempo, com a justificativa de que tirava a esperança de quem desejasse que o ente querido falecido estivesse no “céu”.

Inspirada em um livro de poesias de Yoko Ono, a canção foi gravada em um estúdio em Nova York e em pouco tempo virou um hit global e o hino de movimentos contra a guerra do Vietnã. De acordo com a revista Rolling Stone,  Imagine é uma das 3 melhores músicas de todos os tempos, dividindo o pódio com My Way, de Frank Sinatra, e Hotel California, da banda Eagles. O track tem uma enorme relevância até hoje, sendo um símbolo de igualdade social e de luta contra o preconceito e a segregação.

Confira a nossa seleção com 5 fatos e 5 obras sobre o compositor da canção, John Lennon!


  • John Lennon e Yoko Ono se conheceram em 1966 durante uma exposição de Yoko, que tinha o título de Sim! Desde então, Ono se tornou uma presença constante na vida de John, que na época ainda era casado com sua primeira esposa, Cynthia Powell.

A última entrevista do casal John Lennon e Yoko Ono, de David Sheff

John Lennon e Yoko Ono
Clique aqui e confira na Estante Virtual

Ao final da obra, os leitores chegam a uma conclusão evidente: John Lennon finalmente encontrou a felicidade. No entanto, justamente quando o cantor colocou fim nas suas angústias, sua vida foi cruelmente interrompida. A última entrevista do casal John Lennon e Yoko Ono revela a essência do ídolo poucos meses antes de entrar definitivamente para o hall das grandes lendas do rock.


  • No ano de 1973, John e Yoko se separaram e ele saiu de casa, e logo engatou um romance com May Pang – uma mulher que era incrivelmente semelhante à Yoko Ono. Nesse período, John lançou o álbum Mind Games, cuja capa mostra o rosto de Ono em uma montanha, afastada de John. Após reatar o casamento com Yoko, Lennon chamou este período de separação como um “fim de semana perdido” (Lost Weekend), uma fase bastante conhecida entre os fãs do músico.

John Lennon: a vida, de Philip Norman

John Lennon
Clique aqui e confira na Estante Virtual

Entre as muitas revelações contidas nesta nova biografia de John Lennon, talvez a mais inocente seja a de que, ao contrário do que se acreditava até hoje, não foi a tia, Mimi, mas sua mãe, Julia, quem lhe deu a primeira guitarra. Bem menos inocente é a identificação da verdadeira musa de Norwegian Wood, canção dos Beatles que relatava um caso extraconjugal de Lennon. Mas nem uma coisa nem outra dá o tom da cuidadosa pesquisa realizada por Philip Norman ao longo de três anos. Longe de contentar-se com curiosidades ou fofocas, esta obra é o relato biográfico mais completo já escrito sobre uma das personalidades mais fascinantes do mundo do entretenimento.


  • John Lennon tinha uma péssima relação com seu primeiro filho, Julian Lennon, fruto do seu casamento com Cynthia. Julian já declarou publicamente que o ex-companheiro de banda e parceiro de composições do pai, Paul McCartney, foi muito mais um pai para ele do que o próprio Lennon.

John, de Cynthia Lennon

John
Clique aqui e confira na Estante Virtual

Cynthia Lennon, primeira mulher do ex-Beatle, é testemunha viva dos acontecimentos que formaram o artista. Ela conheceu John Lennon na faculdade de artes, e o relacionamento entre eles coincidiu com o começo dos Beatles – sobretudo a histeria causada pelo quarteto britânico. Cynthia conta a história de seu casamento com este homem, o qual ela casou-se muito jovem e que não imagina que se tornaria um dos maiores ícones musicais de todos os tempos.


  • Seu pai, Alfred Lennon, trabalhava na marinha e abandonou a família quando John ainda era um bebê. Abandonada pelo marido, a mãe de John, Julia Stanley Lennon, deixou o filho para que fosse criado pela irmã – a famosa tia Mimi do cantor.

John Lennon em Nova York: os anos de revolução, de James A. Mitchell

John Lennon em Nova York
Clique aqui e confira na Estante Virtual

John Lennon em Nova York narra a pouco conhecida fase pós-Beatles vivida por um dos maiores artistas do século XX. O ativismo político, a evolução musical, a relação com a esposa Yoko Ono e com os antigos companheiros de banda foram alguns dos temas abordados com deliciosas minúcias pelo autor, o jornalista James A. Mitchell. Um dos maiores valores da obra está na revelação de detalhes inéditos sobre Lennon, sobretudo os relacionados à busca frenética pela enteada, Kyoko Cox.


  • John Lennon e David Bowie compartilhavam do mesmo desprezo pelo status de estrela – um desprezo que levou a composição de um clássico de Bowie, Fame.  Na canção, os dois artistas contam como desperdiçaram inúmeros momentos de suas vidas por causa da fama que adquiriram. Na gravação original, é possível ouvir Lennon tocando guitarra ao fundo.

Como John Lennon pode mudar sua vida, de Alexandre Petillo, Eduardo Palandi e Pablo Kossa

John Lennon
Clique aqui e confira na Estante Virtual

Ao ouvir as músicas de John Lennon com atenção é possível se transportar para o mundo que ele vivia quando escreveu as canções. Os autores de Como John Lennon pode mudar a sua vida fazem uma análise da obra do cantor e as lições contidas em seus textos e atos – quase sempre mundanos e fúteis, desconstruindo o mito, mas revelando que as mensagens de Lennon contém ensinamentos que poderiam tê-lo transformado quase que num autor de auto-ajuda – ou até mesmo de “alta ajuda”.


Qual é a melhor música de John Lennon na sua opinião? Conta pra gente!


Quer receber dicas semanais de leitura?

Assine e receba dicas fresquinhas em seu e-mail toda semana.

Thayane Maria

Thayane Maria

Redatora em Estante Virtual
Thayane Maria, jornalista e cinéfila. Além de escrever para o Estante Blog, também mantém o seu blog no Medium: @Msmidnightlover. Vive em eterna busca pelo excêntrico.
Thayane Maria
Comentários

Thayane Maria

Thayane Maria, jornalista e cinéfila. Além de escrever para o Estante Blog, também mantém o seu blog no Medium: @Msmidnightlover. Vive em eterna busca pelo excêntrico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares