5 livros para descobrir o escritor Juan Carlos Onetti

Conhecido por sua obra inédita em língua espanhola, Onetti é considerado o autor mais importante de seu país, o Uruguai.

Apesar de não ter concluído os anos escolares, Juan Carlos Onetti mergulhou no universo das letras como um autodidata bem sucedido. Ele trabalhou como jornalista, foi publicitário, diretor da Biblioteca Municipal de Montevidéu e mais tarde – em seus anos de exílio político na Espanha – dedicou-se completamente a literatura.

Nascido em uma família com descendência irlandesa e luso-brasileira, o autor casou-se quatro vezes, duas vezes com primas. Em uma de suas obras mais famosas, Junta-cadáveres, ele aborda de forma quase transcendental e metafísica o antigo conflito entre os moralistas e os libidinosos; e também a inquietação solitária de seus personagens, que se sentem incomodados com suas vidas ordinárias. Onetti é considerado por seu conterrâneo, o escritor Horacio Quiroga, como um dos autores mais expressivos da língua espanhola, devido ao seu senso apurado de percepção da linguagem. Por conta disso, ganhou o prêmio Cervantes de literatura, do ano de 1980. Mas ainda permanece à margem dos holofotes, em vista de outros escritores consagrados latino-americanos.

A Estante Virtual selecionou cinco obras deste autor essencial para a literatura. Confira!


A vida breve, de Juan Carlos Onetti

Nesta obra, Onetti faz um paralelo com sua própria vida ao colocar nas palavras do personagem central do livro a frase: “Escrever é se lançar em uma vida paralela, uma bolha imaginária de personagens e eventos que espelham psicodelicamente a existência real.” Em A vida breve, o autor narra a história de protagonistas exauridos por conta de questões pessoas comuns, mas que acumuladas culminam no tom cinzento que ambienta a vida dos personagens.

Clique aqui e confira na Estante Virtual

Junta-cadáveres, de Juan Carlos Onetti

Neste livro, Onetti narra a trajetória de Larsen, o protagonista, que consegue abrir um prostíbulo na cidade fictícia de Santa Maria depois de tanto insistir. No começo, o empreendimento e as mulheres são recebidos com indiferença, que pouco a pouco vai se transformando numa perseguição moralista e impiedosa. A obra pode também ser comparada aos romances de Jorge Amado, todavia, Onetti constrói um romance mais tenro, e que se move lentamente.

Clique aqui e confira na Estante Virtual

O estaleiro, de Juan Carlos Onetti

O universo fantasioso que Onetti construiu em suas narrativas, principalmente a cidade fictícia de Santa Maria, estão neste livro. O Estaleiro aborda sua fascinação por temas como pureza e corrupção, pelo desengano e pelo fracasso, tudo resumido, concentrado na pequena cidade e em poucos personagens.

Clique aqui e confira na Estante Virtual

Tão triste como ela e outros contosde Juan Carlos Onetti

Nesta obra, estão reunidos 18 de seus contos que foram escritos ao longo dos anos. As narrativas são densas, sombrias e melancólicas e ambientados na atmosfera da cidade fictícia de Santa Maria, presente em seus outros livros. Os personagens vivem amores desesperados e se veem à merce da passagem aflita do tempo. No entanto, o caminho percorrido e as angústias dos personagens são facilmente compreendidas, porque tratam-se apenas de uma busca universal: encontrar um sentido para a vida.

Clique aqui e confira na Estante Virtual

O Poço: para uma tumba sem nomede Juan Carlos Onetti

Publicado em 1939, o primeiro texto, O poço, marca a estréia do autor. A narrativa acompanha a história de um homem de meia idade que, agonizando em um quarto, decide expressar toda a verdade sobre a sua vida. No segundo texto, Para Uma Tumba Sem Nome, de 1959, narra o enterro e a vida de uma mulher anônima. Onetti conecta duas histórias que mostram dois momentos distintos, mas complementares um ao outro.

Clique aqui e confira na Estante Virtual

Gostou de ler algum outro título do autor? Compartilha com a gente!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares