10 livros do sociólogo Antonio Candido

(0 Estrelas - 0 Votos)

Morreu nesta sexta-feira (12), o crítico literário e sociólogo Antonio Candido.

Aos 98 anos, partiu nesta madrugada em São Paulo, Antonio Candido. Estudioso da literatura brasileira e estrangeira com extensa obra crítica. O mestre de diversas gerações trabalhou e foi bibliografia recorrente nas principais universidades do Brasil. Candido estava internado desde sábado no hospital Albert Einstein do Morumbi. O velório acontece no próprio hospital, de 9h às 17h.

Com trajetória de vida bastante singular, o multipremiado Antonio Candido graduou-se na antiga Faculdade de Filosofia da USP; em 1942, assumiu o cargo de professor assistente de sociologia e alguns anos depois o de professor-emérito da USP e da UNESP. Foi ainda doutor honoris causa da Unicamp e da Universidade da República do Uruguai em 2005, além de conferencista e autor de livros, ensaios e artigos para a imprensa. Mas, gostava de se apresentar apenas como crítico literário. No doutorado em Ciências Sociais, Candido defendeu a tese Parceiros do Rio Bonito – um completo estudo sobre sociedades tradicionais.

Ele foi autor de livros fundamentais como Introdução ao Método Crítico de Silvio Romero (1944), Formação da Literatura Brasileira (1959) e Literatura e Sociedade (1965). Sua carreira de crítico literário teve início em 1943, quando começou a colaborar com a Folha de S. Paulo e depois no Diário de São Paulo. Em 1956, criou o Suplemento Literário de O Estado de S. Paulo, que atualizou o jornalismo cultural da época no país.

O autor nunca escondeu suas preferências políticas e dizia não ser “capaz de perder a preocupação com os fatores sociais e políticos”. Sua militância começou ainda na juventude, quando integrou a Frente de Resistência contra a ditadura do Estado Novo. Aderiu – ao lado de Sérgio Buarque de Holanda – à Esquerda Democrática, que deu origem em 1947 ao Partido Socialista Brasileiro e, em 1980, participou da fundação do PT. Candido foi quatro vezes vencedor do prêmio Jabuti e em 1998 do prêmio Camões, honraria considerada a mais importante da literatura a premiar um autor de língua portuguesa pelo conjunto da sua obra.

Relembre 10 importantes obras do mestre

O método crítico de Sílvio Romero, de Antonio Candido

Este livro, tese universitária – publicada pela primeira vez em edição do autor no ano de 1945, estuda o pensamento crítico de Silvio Romero, protagonista do movimento de idéias que modernizaram o panorama cultural do Brasil a partir do decênio 1860. Silvio Romero procurou superar a crítica retórica e bibliográfica do nosso Romantismo por meio de uma posição que considerava científica, porque substituía os imponderáveis do gosto pela referência a fatores causais externos, que permitiram ver a obra como produto. Para isso inspirou-se em Taine, com certa liberdade de-vida ao seu senso penetrante dos aspectos peculiares à sociedade brasileira. Como acontece freqüentemente com os críticos naturalistas, foi sempre mais capaz de debate teórico e de “vistas sintéticas”, como dizia, do que de análise crítica e avaliação correta.

O método crítico de Sílvio Romero, de Antonio Candido
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Formação da Literatura Brasileira, de Antonio Candido

A obra estuda dois períodos de nossa literatura, Arcadismo e Romantismo, considerados pelo autor decisivos para a formação do que denomina sistema literário, isto é, a articulação de autores, obras e públicos de maneira a estabelecer uma tradição. Esta gera a continuidade, que dá à produção literária o caráter de atividade permanente, associada aos outros aspectos da cultura. Este modo de ver diverge da historiografia tradicional, porque adota como critério classificatório a constituição da literatura como atividade regular na sociedade, não como expressão de algum sentimento nacional.

Formação da Literatura Brasileira Antonio Candido
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Literatura e sociedade, de Antonio Candido

Nos ensaios deste livro podem ser encontrados resumos históricos, como “Letras e idéias no Brasil colonial”, e tentativas de correlacionar produção literária e estrutura social, como “A literatura na evolução de uma comunidade”, no caso a cidade de São Paulo entre o século XVIII e o Modernismo. Já ´Literatura e cultura de 1900 a 1945´ pretende focalizar o movimento literário de todo o país, com atenção ao ritmo histórico, podendo dizer-se o mesmo de ´O escritor e o público´, que procura destacar no quadro geral da literatura brasileira um dos elementos do processo literário (autor, obra, público). O ensaio final, ´Estrutura literária e função histórica´ tem o intuito de ser uma espécie de demonstração, visando a sugerir que os elementos externos e determinado texto se transformam em elementos internos organicamente integrados, de modo que o estudo destes é que constitui a finalidade específica do trabalho crítico.

Literatura e sociedade, de Antonio Candido
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Das origens ao realismo, de Antonio Candido

Esta obra é história, crítica e antologia da literatura brasileira. Cada época em que se divide, abre-se com uma introdução, na qual são delineadas características estéticas universais e indicadas tendências e correntes internas.

Das origens ao realismo, de Antonio Candido
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Os parceiros do Rio Bonito, de Antonio Candido

Os parceiros do Rio Bonito analisa as relações entre literatura e sociedade e partiu de uma pesquisa sobre a poesia popular do Cururu. As investigações começaram em 1947 e terminaram apenas em 1954, tendo sido feitas de forma intermitente. Para montar o trabalho, Antonio Candido trabalhou por períodos curtos em Piracicaba, Tietê, Porto Feliz, Conchas, Anhembi, Botucatu e sobretudo Bofete. Aí morou num agrupamento rural cerca de vinte dias, de fevereiro a março de 1948 e, de novo, quarenta dias, de janeiro a fevereiro de 1954. Terminado em setembro de 1954, este trabalho foi apresentado como tese de doutoramento em Ciências Sociais à Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo.

os-parceiros-do-rio-bonito
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Iniciação à literatura brasileira, de Antonio Candido

Este livro é um resumo histórico da literatura brasileira, desde as origens no século XVI até os nossos dias, focalizando o que se pode chamar o seu processo formativo. Daí a menção ao mínimo possível de autores, com destaque apenas para os que desempenharam nele papel de certo relevo ou significado. A história da nossa literatura tem sido estudada de várias maneiras. A mais antiga é a que a encara como aquisição progressiva de consciência da realidade do país associada ao sentimento nacional. Outras a vêem como transposição das sucessivas modas literárias do Ocidente da Europa, sua matriz cultural.

iniciacao-a-literatura-brasileira-antonio-candido
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Romantismo no Brasil, de Antonio Candido

Este resumo do período romântico na literatura brasileira procura destacar o que pode ser qualificado como a sua oportunidade histórica, isto é, o seu ajustamento ao espírito da jovem nação, graças a soluções originais que não romperam, todavia, a ligação orgânica com as literaturas/matrizes da Europa ocidental, das quais a nossa faz parte Resultou uma grande capacidade de comunicação, que permitiu à literatura difundir-se mais do que seria de esperar num país de pouca instrução e equipamento cultural precário Além disso, o resumo procura salientar o que ficou de mais vivo do Romantismo para a mentalidade de hoje, assegurando a sua duração no tempo

Romantismo no Brasil, de Antonio Candido
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Vários escritos, de Antonio Candido

Os ensaios deste livro estão organizados em duas partes. A primeira procura apresentar a obra de Machado de Assis. Segue um escrito sobre Oswald de Andrade, no qual se pretende misturar evocações pessoais e uma tentativa de reavaliação da obra. Na sequência uma leitura da poesia de Carlos Drummond de Andrade à luz de inquietações de cunhos individual e social, e da ‘procura da poesia’. Busca abordar o tema do jagunço, passando por Cláudio Manuel da Costa e Guimarães Rosa. Através de Basílio da Gama visa apontar o o tema do conflito de culturas e a dimensão civilizadora da sociabilidade literária no século XVIII brasileiro, nos dois ensaios seguintes. A segunda parte procura expor sobre o direito à literatura. Segue um ensaio sobre o que o autor denomina ‘radicalidade de classe média’, tendo como pano de fundo Joaquim Nabuco e Manoel Bomfim. Outros escritos procuram discutir sobre as vicissitudes do conceito de nacionalismo no Brasil e a evocação do papel da Faculdade de Filosofia da Universidade de São Paulo. Encerram o livro dois perfis o de Sérgio Buarque de Holanda e o de Paulo Emilio Salles Gomes.

Vários escritos, de Antonio Candido
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

O observador literário, de Antonio Candido

Em O observador literário aparece pela primeira vez o interesse do autor por uma espécie de retrato, no qual procura caracterizar a personalidade de escritores, mas também de pessoas obscuras, marcadas por traços que as tornam significativas e não raro exemplares. Cabe nesta chave a combinação de obra e biografia, que aparece nos casos de Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Giuseppe Ungaretti, Vinícius de Moraes.

O observador literário, de Antonio Candido
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

O estudo analítico do poema, de Antonio Candido

Este volume contém a parte teórica de um curso dado em 1963 e repetido em 1964 para o 4º ano de Teoria Literária. A parte que se pode chamar de prática era constituída pela análise de poemas de Manuel Bandeira, não apenas pela alta qualidade de sua obra, mas porque ela é provavelmente a única em nossa literatura que permite a um estudante encontrar todas as modalidades de verso, desde os rigorosamente fixos até os mais livremente experimentais.

O estudo analítico do poema, de Antonio Candido
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Tem alguma obra favorita de Antonio Candido? Compartilhe nos comentários!

Comentários

Natália Figueiredo

Natália Figueiredo

Jornalista Multimídia em Estante Virtual
Natalia Figueiredo fez da escrita sua profissão. Começou a carreira no jornalismo impresso do Rio, mantém o blog de viagens Nat no Mundo (http://natnomundo.com/) e, hoje, escreve sobre literatura para o Estante Blog.
Natália Figueiredo

Natália Figueiredo

Natalia Figueiredo fez da escrita sua profissão. Começou a carreira no jornalismo impresso do Rio, mantém o blog de viagens Nat no Mundo (http://natnomundo.com/) e, hoje, escreve sobre literatura para o Estante Blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares