William Gibson, o profeta noir do ciberespaço

Aos 69 anos, William Gibson é um dos autores mais inovadores de nosso tempo.

O escritor William Gibson inaugurou uma nova era da ficção científica, o chamado “cyberpunk”. O subgênero é apresentado em seu livro de estreia, Neuromancer (1984). O autor futurista, retratou hackers que conseguiam plugar seus cérebros diretamente em sistemas de realidade virtual. O romance foi um marco da ficção e antecipou tecnologias como a internet, criando conceitos como o de “ciberespaço”, ainda na década de 80. O termo referia-se ao ambiente virtual criado pela rede de computadores e o próprio nome do filme “Matrix”, dos irmãos Wachowski, foi tirado da obra de Gibson.

Nascido no dia 17 de março de 1948, na Carolina do Sul (EUA), Gibson é considerado um dos autores mais influentes da ficção científica. Unindo informática e inquietações histórico-filosóficas com tramas pop cheias de ação e violência. Ele publicou ainda outros romances como Count Zero (1986), All Tomorrow’s Parties (2000), Idoru (1997), Reconhecimento de padrões (2003), Spook Country (2008) e o mais recente The Peripheral (2014). Nas obras, o autor constrói metáforas, conseguindo misturar referências da física quântica, da música pop e do mundo da moda com maestria.

No dia de seu aniversário, confira algumas de suas obras e parcerias com outros autores!


Neuromancer, de William Gibson

No futuro, existe a matrix. Uma espécie de alucinação coletiva digital na qual a humanidade se conecta para, virtualmente, saber de tudo sobre tudo. Mas há uma elite que navega por essa grande rede de informação – os Cowboys. Case era um deles, até o dia em que tentou ser mais esperto do que os seus patrões, que fritaram suas conexões com o ciberespaço, tornando-o um pária entre os seus iguais. Ele vaga pelos subúrbios de Tóquio, mais envolvido do que nunca em destruir a si próprio, até ser contatado por Molly, uma bela e perigosa mulher que, assim como ele, desconfia de tudo e de todos. Os dois acabam se envolvendo numa missão cheia de mistérios e perigos.

Neuromancer, de William Gibson
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Reconhecimento de padrões, de William Gibson

Cayce Pollard é uma coolhunter. Suas habilidades como caçadora de tendências, aliadas a um quê de profetisa e a uma inusitada alergia a marcas registradas, faz dela uma profissional disputada por corporações do mundo inteiro. Chamada a Londres para uma nova oportunidade de trabalho, Cayce recebe uma proposta ambiciosa e obscura: descobrir quem está por trás da criação e disseminação do “filme”, uma coleção de fragmentos de vídeo postados anonimamente na web e que atraem milhares de seguidores, inclusive ela mesma.

reconhecimento-de-padroes
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Count Zero, de William Gibson

No futuro, existe a matrix. Uma espécie de alucinação coletiva digital na qual a humanidade se conecta para, virtualmente, saber de tudo sobre tudo. Mas algo estranho está acontecendo. Pelo ciberespaço se espalham agora diversas novas vidas artificiais. Por isso, as grandes corporações do planeta precisam se mobilizar, cada vez mais e a qualquer custo, para proteger suas informações e obter outras. A bola da vez é o biochip, tecnologia capaz de oferecer grandes vantagens à empresa que dele se apossar. Envolvido por esse cenário, Bobby Newmark acaba entrando de gaiato nessa história. E por causa disso, Bobby – o “Count Zero” – se torna uma pessoa valiosa. É quando a caçada começa. Passados oito anos após os eventos de Neuromancer, Count Zero é uma imersão no universo cyberpunk criado por William Gibson, sendo a segunda parte da Trilogia do Sprawl, iniciada por Neuromancer e fechada por Mona Lisa Overdrive.

count-zero
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Território fantasma, de William Gibson

Retomando o universo tecnológico movido pelos interesses das grandes mídias apresentado em Reconhecimento de Padrões, Gibson cria uma nova trama envolvendo antigos e novos personagens que se movem no mundo pós 11 de setembro, marcado pela fugacidade e por novas formas de controle de informação, paranoia e patriotismo. Tito vive num quarto de armazém e faz trabalhos delicados que envolvem transferência de informações. Milgrim, um viciado especialista em criptografia, é sustentado pelo o misterioso Brown. Hollis Henry é uma jornalista contratada por Hubertus Bigend para um trabalho investigativo, cuja missão é encontrar Bobby Chombo: um “solucionador de problemas” para fabricantes de equipamentos de navegação militar que nunca pernoita duas vezes no mesmo lugar nem se encontra com outras pessoas. É a busca por esse misterioso personagem que acaba unindo a todos numa surpreendente jornada.

Território Fantasma, de William Gibson
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

História zero, de William Gibson

História zero, assim como em Reconhecimento de Padrões e Território Fantasma, explora o lado mais sombrio do marketing e o cenário conturbado do pós-11 de setembro e da crise global de 2008. A nova meta do ambicioso Hubertus Bigend é controlar o fornecimento de uniformes militares nos Estados Unidos e se valer da crescente influência desse estilo no mercado mainstream. Para tanto, ele busca aliciar o criador anônimo de uma obscura e desejada marca de roupas que virou febre entre consumidores do mundo inteiro.

historia-zero
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

A Máquina Diferencial, de William Gibson e Bruce Sterling

Escrito com maestria por dois grandes autores da ficção científica moderna, William Gibson e Bruce Sterling, A Máquina Diferencial, é um marco na literatura steampunk – gênero que ganhou fama no final dos anos 1980, trazendo crônicas ambientadas no passado, subvertendo fatos históricos importantes. Graças ao gênio de Charles Babbage e à sua máquina diferencial — capaz de realizar avançados cálculos matemáticos com um simples girar de engrenagens —, a Inglaterra vitoriana consolida-se como potência mundial. Entretanto, uma sinistra conspiração ameaça as bases do governo, colocando em risco todas as conquistas do Partido Radical. Envolvendo controversos personagens históricos e ficcionais, os autores tecem em A máquina diferencial uma trama repleta de intrigas políticas, romance e ação.

a-maquina-diferencial
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

E v0cê? Qual seu livro favorito do autor? Mais obras você encontra no site da Estante Virtual!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares