Resenha: Os multiversos de “Matéria escura”

(0 Estrelas - 0 Votos)
Por Marianna Vale

“Você é feliz com a vida que tem?”

Longe de ser um livro de autoajuda, Matéria escura, o novo livro de ficção do autor e roteirista Blake Crouch, nos faz pensar sobre nossa vida e todas as escolhas que já tivemos que fazer durante os anos. Em uma noite comum de Chicago, Jason Dessen é raptado enquanto retornava de seu bar favorito. Humilhado, diante o medo de perder sua vida, implora pela chance de voltar para sua família mas é deixado inconsciente no chão de uma usina abandonada.

Ao acordar em um local desconhecido, é cercado por pessoas estranhas que o parabenizam e comemoram seu retorno. Neste lugar, descobre viver uma vida completamente diferente da sua. Daniela nunca se tornou sua esposa e Charlie, seu filho, nem sequer nasceu. Seu pacato emprego de professor universitário deu vez a uma brilhante carreira no campo da física, tudo graças a uma pesquisa que na verdade foi abandonada anos atrás em prol da construção de sua família. Impossível. O que aconteceu? Vítima de uma grave doença? Ou tudo não passa de um sonho? Convencido que tudo o que as pessoas lhe contam não pode ser real, Jason compreende que na verdade se encontra em um outro mundo, muito similar mas ainda assim completamente diferente do que conhece por sua realidade, e parte em busca da vida que ele sempre levou, junto a sua família.

Uma vozinha em minha mente grita, exige que eu faça alguma coisa, tente alguma coisa, qualquer coisa. Não se deixe levar facilmente, como um cordeiro para o abate, pé ante pé, obedientemente”. (P: 31)

Física quântica e a teoria da existência de universos paralelos para leigos

Blake Crouch aborda conceitos da física quântica e a teoria da existência de universos paralelos, tudo de uma forma – aparentemente – bem fundamentada, fazendo com que pessoas leigas no assunto (como eu) fiquem apaixonadas e impressionadas com as possibilidades levantadas. No decorrer da leitura, instintivamente nos pegamos pensando se realmente seria possível esse tipo de viagem entre mundos, como agiríamos se toda essa tecnologia fosse acessível as pessoas e como seria se tudo isso começassem a acontecer pelo mundo.

Mas muito além de um livro que fala sobre teorias da física, Matéria escura nos dá uma grande lição sobre o desespero e a perseverança das pessoas. O que estamos dispostos a fazer pelos nossos desejos mais profundos? Até onde o homem é capaz de insistir em algo? Toda vez que Jason é tomado pelo medo e sofre pela família, o coração aperta e o leitor sofre junto. A cada novo lugar visto, cada alteração na realidade já conhecida, nos assustamos e somos impactados como se estivesse acontecendo em nossas próprias vidas. É impossível não sentir uma grande empatia pelo personagem. Em todo capítulo há uma surpresa, uma emoção.

Além do turbilhão de emoções, que vão desde o desespero até a alegria dos momentos tranquilos, o livro nos leva a fazer uma análise das nossas próprias vidas e decisões. Onde estaríamos se tivéssemos seguido por outro caminho no passado? Se pudéssemos escolher um outra versão de nós mesmos, qual escolheríamos?

Materia_Escura
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

marianna Marianna Vale é designer, umbandista e integrante do time de Comunicação da Estante Virtual. Mari leu todas as últimas séries infantojuvenis lançadas, mas seu coração ainda pertence a saga Harry Potter.

Comentários

Um comentário em “Resenha: Os multiversos de “Matéria escura”

  • 15.03.2017 a 12:04 pm
    Permalink

    Interessante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares