Literatura Censurada: os livros proibidos no Brasil e no mundo

(0 Estrelas - 0 Votos)

Na lista de proibidos estão J.K. Rowling, Nabokov e George Orwell

Há quem diga: tudo que é proibido é mais gostoso. Como quebrar esse ditado quando há um enorme número de livros que já foram censurados em listas de livros mais vendidos? Por isso, fomos atrás e descobrimos dezenas de livros censurados no Brasil e no mundo. Um bom e atual exemplo é o fantástico mundo do bruxinho Harry Potter, criado pela autora J.K. Rowling. A saga que gerou grande burburinho em diversas religiões chegou a ser banida das escolas privadas nos Emirados Árabes Unidos sob a justificativa de que incentivaria a bruxaria.

Mais recentemente foi a vez do polêmico livro Cinquenta tons de cinza, da autora britânica E. L. James. O bestseller, com mais de 100 milhões de cópias vendidas em todo o mundo, foi banido das prateleiras da Flórida, Geórgia e Wisconsin, nos Estados Unidos. E até no Brasil, na cidade de Macaé, a trilogia foi censurada por sua narrativa com grande apelo sexual, considerada por muitos, pornografia. O mesmo motivo levou o clássico livro Lolita, de Vladimir Nabokov, a ter todas as suas cópias apreendidas em 1955. A obra conta a história de um homem que se apaixona pela enteada de 12 anos.

Palavreado chulo, incitação à prostituição e à rebeldia. Essas foram as justificativas para censurar o livro O apanhador no campo de centeio, de J. D. Salinger. E, mesmo assim, a obra é até hoje uma das leituras preferidas de jovens de todo o mundo. Há ainda aqueles livros censurados por trazerem histórias de um mundo reempreendido por governos totalitários. É o caso de Admirável mundo novo, de Aldous Huxley, Fahrenheit 451, de Ray Bradbury, e, claro, 1984, de George Orwell.

Ao falar de censura é impossível não nos lembrarmos do período de Ditadura Militar no Brasil (1964-1985), no qual muitas obras foram censuradas pelo Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP). Entre elas estava Feliz Ano Novo, de Rubem Fonseca. Um ano depois de seu lançamento, chegou a ser proibida a sua distribuição e publicação sob a alegação de ferir a moral e os bons costumes. A autora brasileira Cassandra Rios teve tantas obras censuradas durante o regime militar que chegou a usar o slogan “Um novo sucesso da autora mais proibida do Brasil” em um de seus livros.

Confira abaixo os títulos e onde foram censurados:


Harry Potter, de J. K. Rowling

Nos Emirados Árabes Unidos, a coleção foi censurada por, supostamente, incentivar a bruxaria.

harry-potter-e-a-pedra-filosofal
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Ciquenta tons de cinza, de E. L. James

Censurado na Flórida, Geórgia e Wisconsin, nos EUA, e na cidade de Macaé, no Brasil, devido ao seu teor sexual.

50-tons-de-cinza
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

As vantagens de ser invisível, de Stephen Chbosky

Censurado nos Estados Unidos, em 1999, logo após seu lançamento, por falar abertamente sobre homossexualidade e drogas.

as-vantagens-de-ser-invisivel
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll

Na China, o livro foi banido por dar aos animais as mesmas qualidades que os homens e colocá-los no mesmo nível hierárquico.

alice-no-pais-das-maravilhas-lewis-carroll
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Fahrenheit 451, de Ray Bradbury

Ao apresentar uma sociedade na qual o governo totalitário mandava queimar todos os livros do mundo, Fahrenheit 451 teve um destino parecido. A obra é uma das mais indesejadas do mundo por fazer referência ao consumo de drogas e à violência.

Fahrenheit-451-ray-bradbury
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Admirável mundo novo, de Aldous Huxley

Nos Estados Unidos chegou a ser banido de bibliotecas segundo alegação de que incentivava a promiscuidade e uso de drogas.

admiravel mundo novo
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

1984, de George Orwell

Foi censurado durante a Guerra Fria por apresentar um mundo controlado por totalitários. Também foi proibida por ser tida como pró-comunismo.

1984
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Lolita, de Vladimir Nabokov

Proibido em vários países por causa da sua narrativa considerada pornográfica. Depois de ser descrito pelo editor John Gordon, do Sunday Times, como “o livro mais sujo que li”, todas as cópias foram apreendidas em 1955.

lolita
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

O crime do Padre Amaro, de Eça de Queirós

Gerou grandes protestos dentro da Igreja Católica ao ir de encontro ao celibato clerical. Foi proibido em salas de aula de Portugal.

O-Crime-do-Padre-Amaro-Eça-de-Queiros
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Feliz Ano Novo, de Rubem Fonseca

Lançado em 1975, foi censurado pelo DIP e teve sua publicação e circulação proibidas, sob a alegação de conter “matéria contrária à moral e aos bons costumes” e também acusado de fazer apologia à violência.

Feliz Ano Novo, de Rubem Fonseca
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Tessa: A gata, de Cassandra Rios

Devido a temática erótica de seus livros, Cassandra Rios teve muitos livros censurados durante a Ditadura Militar. Na capa do desta obra, a autora utiliza o slogan “Um novo sucesso da autora mais proibida do Brasil”.

tessa-a-gata-Cassandra-Rios
Clique na imagem e confira na Estante Virtual

Gostou? E quais outros livros acrescentaria a lista?

Comentários

12 comentários em “Literatura Censurada: os livros proibidos no Brasil e no mundo

  • 07.06.2017 a 6:22 pm
    Permalink

    Se for considerar linguagem chula e apelo sexual, pode -se incluir “Eu sei que vou te amar”, do Arnaldo Jabour.

  • 07.06.2017 a 5:12 pm
    Permalink

    Ninguém falou do Marquês de Sade? Principalmente “Os 120 dias de Sodoma”. Para mim foi o mais obsceno, pérfido e sujo que existe. Lolyta eu tenho e não achei obsceno.

  • 22.03.2017 a 8:28 pm
    Permalink

    Faltou o mais polêmico e inspirador de Adolf Hitler em sua conduta antisemita: Os Protocolos dos Sábios de Sião. Sem dúvida esse livro foi responsável por estumular o antisemitismo.

  • 07.06.2013 a 9:26 am
    Permalink

    O Canto dos Malditos, de Austregésilo Carrano Bueno, também estava (não sei se ainda está) proibido no Brasil. É difícil lutar contra manicômios.

  • 15.05.2013 a 7:09 pm
    Permalink

    È difficile trovare persone competenti su questo argomento, ma sembra che voi sappiate di cosa state parlando! Grazie

  • 12.05.2013 a 1:27 pm
    Permalink

    Poderia ser incluída nesse tópico a recente campnha jurídica contra a obra de Monteiro Lobato.
    Nos Estados Unidos, são comuns proibições de livros, na forma de remoção de currículo letivo ou de bibliotecas públicas, geralmente sob acusações de conteúdos racistas, machistas, pornográficas ou de preconceito religioso. Alvos freqüentes lá são as obras de Mark Twain, John Steinbeck e até Shakespeare.
    http://www.adlerbooks.com/banned.html

  • 05.03.2013 a 4:00 pm
    Permalink

    Quer conhecer mais títulos censurados? Folheie o Index Librorium Prohibitorum que servia como catálogo para a censura dos idos de 1500 a 1965 decidirem se o livro poderia ou não ser lido. Muito interessante os julgamentos de valores que são tecidos por uma causa. Essa é nossa história e vale a pena conferí-la. Segue como sugestão.

  • 05.03.2013 a 10:34 am
    Permalink

    Vale lembrar que até o ano de 1968 praticamente todas as obras de Henry Miller estavam censuradas no Brasil (e em boa parte do mundo). Seus livros eram vendidos apenas em inglês, e por baixo do balcão, aqui no Brasil. Recomendo Trópico de Câncer, Trópico de Capricórnio, Primavera Negra.

  • 02.03.2013 a 7:45 pm
    Permalink

    Faltou também “Os versos satânicos” de Salman Rushdie.

  • 01.03.2013 a 11:25 am
    Permalink

    Infelizmente, sempre deixam Naked Lunch de lado… Lamentável!

  • 28.02.2013 a 6:22 pm
    Permalink

    sobre o 1984 , é justamente o contrário: o livro é totalmente anti-comunista (claro que não pe somente o comunismo criticado a partir do grande irmão…), com a personificação do totalitarismo. o problema, era enxergar essa critica em uma época de aliança entre o eixo EUA-Grã bretanha-França e a URSS. quer dizer, uma verdade inadequada, para o momento…

  • 28.02.2013 a 6:04 pm
    Permalink

    Esqueceram de uma obra muito importante: “Os filhos da Rua Arbat” de Anatoli Ribakov que foi proibido por mais de 20 anos na União Soviética.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares