Cinco frases e cinco livros de Bertolt Brecht

(0 Estrelas - 0 Votos)

O autor Bertolt Brecht completaria 118 anos no dia 10 de fevereiro.

O Declínio do Egoísta Johann Fatzer

Peça inacabada, escrita por Brecht entre 1927 e 1931. Nessa fase de teatro épico, uma das mais abertas à experimentação na vida do autor alemão, surgiram clássicos como o musical Mahagonny. O dramaturgo alemão Heiner Müller (1929-1995) ordenou os fragmentos do original, hoje considerado uma das mais significativas contribuições ao teatro no século XX. A peça narra as aventuras de quatro soldados alemães que desertam da Primeira Guerra Mundial, liderados por Johann Fatzer.

Veja o livro
Veja o livro

 

O que não sabe é um ignorante, mas o que sabe e não diz nada é um criminoso.

O Círculo de Giz Caucasiano

O dramaturgo alemão Bertold Brecht, ao final da Segunda Guerra Mundial, escreveu este livro ambientado na União Soviética daquela época, onde dois fazendeiros disputam a posse de um vale fértil. Para resolver o problema, eles recorrem a um poeta, que lhes conta a história do círculo de giz, uma história que o autor colhera numa antiga fonte chinesa.

Veja o livro
Veja o livro

 

De todas as coisas seguras, / a mais segura é a dúvida.

Poemas 1913-1956

Esta coletânea, incluindo 260 poemas escritos entre 1913 e 1956, oferece uma substancial amostra da obra poética de Brecht – baladas, sátiras, canções de amor, versos para crianças, exortações à luta, louvações e elegias Esta coletânea, incluindo 260 poemas escritos entre 1913 e 1956, oferece uma substancial amostra da obra poética de Brecht – baladas, sátiras, canções de amor, versos para crianças, exortações à luta, louvações e elegias

Veja o livro
Veja o livro

 

Perante um obstáculo, a linha mais curta entre dois pontos pode ser a curva.

A Santa Joana dos Matadouros

Este livro é uma das grandes peças do século XX. Escrevendo em meio à turbulência do entre guerras, Brecht fez do palco um espaço de investigação estética do momento contemporâneo. Ambientado nos matadouros de Chicago, a história segue as guinadas da indústria de carne enlatada pelo fio das tribulações de Joana Dark, boa alma empenhada em harmonizar contradições insolúveis e conflitos prementes.

Veja o livro
Veja o livro

 

Primeiro vem o estômago, depois a moral.

Histórias do Sr. Keuner

Em novembro de 1947 Bertolt Brecht desembarcou na Suíça, sem passaporte, após escapar dos Estados Unidos, que ingressavam então numa era de caça às bruxas. Cerca de um ano depois, sem conseguir um visto de residência definitiva no país, partiu para Berlim oriental, onde passaria seus últimos anos. Além de amizades, Brecht deixou na Suíça fotos, cartas, documentos e manuscritos originais, que seriam descobertos, mais de cinquenta anos depois, pelo pesquisador Werner Wüthrich. Em meio a esse material, havia uma pasta com 58 textos relacionados ao sr. Keuner, sendo quinze deles completamente desconhecidos. São estes textos – publicados pela primeira vez na Alemanha em 2004 – que esta edição reuniu aos 87 já conhecidos, compondo assim uma completa coletânea de histórias do sr. Keuner. Escritos ao longo de trinta anos, de 1926 a 1956, ano de sua morte, esses textos, que podem ter duas páginas ou uma só linha, constituem uma das criações mais vivas e divertidas de Brecht. Misto de filósofo, professor e homem de ação, o surpreendente sr. Keuner – considerado por muitos uma espécie de alter ego do autor – combina em doses iguais Karl e Groucho Marx, empregando a dialética e o humor para provocar curtos-circuitos em nossos hábitos mentais. Situado no extremo oposto dos livros de auto ajuda, eis aí um personagem talhado sob medida para o nosso tempo.

Veja o livro
Veja o livro

 

 

Que continuemos a nos omitir da política é tudo o que os malfeitores da vida pública mais querem.

Qual a sua obra favorita de Bertolt Brecht? Deixe seu comentário e participe da conversa.

 

Comentários

Rodrigo Espírito Santo

Rodrigo Espírito Santo

Colaborador em Estante Virtual
Mestre em Comunicação Social, MBA em Comunicação Corporativa, Pós-graduado em roteiro de audio visual. Mais de 15 anos de experiência em comunicação empresarial, endomarketing, redação publicitária, jornalística e de conteúdo para redes sociais.
Rodrigo Espírito Santo

Rodrigo Espírito Santo

Mestre em Comunicação Social, MBA em Comunicação Corporativa, Pós-graduado em roteiro de audio visual. Mais de 15 anos de experiência em comunicação empresarial, endomarketing, redação publicitária, jornalística e de conteúdo para redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares