Cinco curiosidades e cinco livros sobre Rasputin

A lendária morte de Rasputin acontecia há 99 anos

Grigori Yefimovich Rasputin foi uma das figuras mais polêmicas da história da Rússia. De sua chegada na corte real até a incrível noite de sua morte, no dia 16 de dezembro de 1916, o monge místico foi uma figura central na queda da família real russa. Conheça cinco fatos curiosos sobre ele.

1 – Rasputin, o monge #SQN

Ele nasceu num pequeno vilarejo na Sibéria em 1869, e não teve muito acesso à educação. Abandonou os estudos aos oito anos, sem saber ler ou rescrever. Ele encontrou sua vocação no Monastério Verkhoture. Pelo menos, não literalmente. Ele frequentou o monastério, mas fugiu e voltou para casa aos 19, antes de completar o treinamento de monge.

Apesar disso, ele passou a ser conhecido como “O Monge” durante sua vida e como “O Monge Louco” depois da sua morte. As razões para o título nunca ficaram claras, mas é possível que seja autoproclamado.

O último Czar, de Edvard Radzinsky

Veja o livro
Veja o livro

 

2 – Rasputin tinha poderes místicos

Não existem provas documentais dos poderes curandeiros de Rasputin, mas muita gente acreditava que ele era capaz de curar doentes e deficientes. O caso mais famoso de cura foi o que o trouxe à corte russa. De acordo com a lenda, ele teria curado Alexis, o filho hemofílico do Czar. Depois de uma grave crise hemorrágica, Rasputin foi chamado e conseguiu parar o sangramento, ganhando acesso à nobreza da Rússia.

Sete vidas esotéricas, de Octavio Aceves

Veja o livro
Veja o livro

 

3 – Rasputin hipnotizou a Czarina

Durante a primeira guerra mundial, o Czar acreditava naquela noção romântica de que ele deveria liderar suas tropas na batalha. Por essa razão, ele se ausentou do palácio real por um bom tempo,e abriu espaço para que Rasputin exercesse sua influência sobre a Czarina. Há quem diga que ele usou de hipnose, outros juram que foi “atração mística”. O fato é que o monge passou a opinar nas decisões da corte, derrubando, inclusive, alguns ministros. O que, é claro, foi o início do seu fim.

Rasputin, o dominador de mulheres, de Ivan Petrowitch

Veja o livro
Veja o livro

 

4 – Rasputin previu a própria morte

Numa profecia mórbida, Rasputin previu que seria assassinado, apesar de não ter certeza de quem seria seu executor. Ele disse à Czarina: “Eu serei morto. Se eu for morto pela minha própria gente, pelos plebeus, você continuará a reinar em paz e harmonia. Mas, se eu for morto pela nobreza, em dois anos, você e suas crianças e toda a família real perecerão.”

Rasputin, o último ato da tragédia Romanov, de Manoel Hygino dos Santos

Veja o livro
Veja o livro

 

5 – Rasputin era duro de matar

As circunstâncias da morte de Rasputin são tão incríveis quanto sua vida. Muitos desses “fatos” orbitam no universo dos mitos. A única certeza é que ele demorou um tempo inacreditável para morrer.

No dia 16 de dezembro de 1916, um grupo de nobres liderado por Felix Yusupov preparou uma emboscada para Rasputin. Dizem que, nesta ocasião, o monge ingeriu veneno suficiente para matar cinco homens sem demonstrar qualquer efeito. Frustrados, os nobres atiraram nele. Ele sobreviveu. Aí os nobres espancaram o monge. No dia seguinte, seu corpo apareceu boiando no Rio Neva.

Pouco tempo depois, sua profecia sobre sua própria morte se concretizou, quando a revolução russa destituiu a monarquia no país.

O assassinato de Rasputin, organizado por Mino Milani

Veja o livro
Veja o livro

 

Que personalidade histórica é a mais fascinante na sua opinião? Deixe seu comentário e participe da conversa.

Comentários

Rodrigo Espírito Santo

Rodrigo Espírito Santo

Colaborador em Estante Virtual
Mestre em Comunicação Social, MBA em Comunicação Corporativa, Pós-graduado em roteiro de audio visual. Mais de 15 anos de experiência em comunicação empresarial, endomarketing, redação publicitária, jornalística e de conteúdo para redes sociais.
Rodrigo Espírito Santo

Rodrigo Espírito Santo

Mestre em Comunicação Social, MBA em Comunicação Corporativa, Pós-graduado em roteiro de audio visual. Mais de 15 anos de experiência em comunicação empresarial, endomarketing, redação publicitária, jornalística e de conteúdo para redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares