Vida de Livreiro – Aldo e o Abelivros

Há sete anos no comando do Abelivros e com mais de trinta anos de experiência no ramo, Aldo vendeu sua Livraria da Vila na capital paulista para curtir a aposentadoria no interior. Mas o amor pela vida de livreiro foi mais forte.

No quarto andar de um prédio comercial em Campinas, São Paulo, Aldo Bocchini Neto, 66 anos, manuseia um livro envolto em uma embalagem plástica: “Este é autografado por Vinícius de Moares. Primeira edição”, orgulha-se o livreiro.  “Uma das vantagens de um sebo virtual é que nós podemos dar mais atenção à conservação. Todos os meus livros são mantidos em embalagem plástica. Aqui não tem cheiro de livro velho”, explica Aldo.

Uma outra diferença entre o sebo de rua e sua versão on-line é a forma como os livros são adquiridos. “Enquanto os colegas que têm lojas físicas acabam comprando títulos em pequenas quantidades dos clientes que vão até a loja, isso não faz parte da minha realidade. As aquisições do nosso acervo costumam ser feitas em grandes quantidades”, pondera.

Uma das últimas aquisições do Abelivros chegou a ser noticiada na imprensa. Foi a biblioteca do falecido professor Nicolau Sevcenko, com mais de sete mil títulos. Sevcenko era um pesquisador da história da cultura brasileira e do desenvolvimento social das cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro. Era professor de história da cultura da USP, além de membro do Center for Latin American Cultural Studies do King’s College da Universidade de Londres. Também foi professor visitante na Universidade de Georgetown, na Universidade de Illinois (Urbana-Champaign) e na Universidade de Harvard, todas nos Estados Unidos.

A primeira opção da família do professor Sevcenko foi doar o acervo para uma biblioteca pública ou para uma universidade. A tarefa se mostrou mais difícil do que esperado. “Não é tão simples receber uma doação de sete mil livros. É preciso ter uma previsão orçamentária, calcular custos de manutenção, conservação. Não basta simplesmente querer doar”, explica Aldo.

A solução foi incorporar a coleção ao acervo da Abelivros. “No momento estamos catalogando as obras pela Estante Virtual. Cerca de duzentas já estão disponíveis. Aos poucos, estamos acrescentando novos títulos”.

Sobre o futuro, Aldo é otimista: “Os livros digitais são bem-vindos e os de papel continuam sendo editados e cada vez mais vendidos. Não tem porque acreditar que um será prejudicial ao outro”. O livreiro inclusive indica uma preciosa obra sobre este debate: o livro Não contem com o fim do livro, de Umberto Eco e Jean-Claude Carrière. “Um maravilhoso discurso sobre leitura e literatura”, afirma o livreiro.

Outra sugestão de leitura de Aldo é uma homenagem ao professor Sevcenko e sua contribuição para a cultura brasileira. A Revolta da Vacina  retrata um momento crucial e pouco conhecido da história brasileira de um jeito interessante, acessível para leigos, adolescentes e adultos. Um belo trabalho de pesquisa e de literatura. Uma ótima opção de leitura”, recomenda.

 

A série “Vida de Livreiro” vai continuar a contar as histórias dos personagens da nossa rede. Quer compartilhar suas experiências com os leitores do Estante Blog? Conte a sua jornada pelo universo dos livros através do e-mail: suahistoria@estantevirtual.com.br

 

 

Comentários

2 comentários em “Vida de Livreiro – Aldo e o Abelivros

  • 14.08.2015 a 10:33 am
    Permalink

    Excelente a iniciativa de falar sobre o livreiro.

  • 08.09.2016 a 1:03 am
    Permalink

    Esqueci

    Ambos de Cláudio Humberto Rosa e Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares