Os 120 Dias de Sodoma, Marquês de Sade

Conheça os 11 livros mais polêmicos da história

Eles desafiaram as teorias e crenças da época. Eles tocaram em assuntos que sempre geram discussões: religião, ciências, política. Alguns até mesmo atentaram contra o que era considerada a moral e os bons costumes da sociedade em que foram publicados. Eles causaram burburinhos e muita polêmica. A Revista Mundo Estranho divulgou os 11 livros mais polêmicas da história, que você confere agora!

O primeiro da lista é o livro mais vendido e traduzido do mundo, a Bíblia. Durante séculos, fiéis, cientistas, pesquisadores e leitores levantam dúvidas sobre sua autoria, datas e conteúdo. Duplas interpretações e incertezas giram em torno de todo o livro, sobretudo, em assuntos como: a criação divina e o apocalipse. Desafiando a religião e contrariando a própria Bíblia, outro livro causador de grandes polêmicas foi A Origem das Espécies, de Charles Darwin. Ao apresentar a Teoria da Evolução que, dentre outros preceitos, afirma que o homem descenderia dos macacos, Darwin também abordou a luta pela sobrevivência das espécies e a seleção natural, causando extremo furor social. Conheça outros livros que também geraram polêmica:


  • Sarah

    J. T. Leroy

  • Narra a história de Cherry Vanilla, um garoto de 12 anos que deseja virar uma mulher famosa. Em 2006, descobriu-se que J. T. Leroy não era um homem e sim um pseudônimo para uma ex-operadora de telesexo e verdadeira autora do livro.

     


  • Deus, um Delírio

    Richard Dawkins

  • O autor, um biólogo, expõe argumentos para provar que Deus não existe e coloca a religião como principal causa de males modernos como guerras e intolerância. A discussão entre religiosos e ateus gerou dezenas de artigos e livros contrários às ideias de Dawkins.

     


  • Versos Satânicos

    Salman Rushdie

  • A obra que narra a história de dois muçulmanos que sobrevivem a um atentado à bomba é recheada de ironias e críticas ao Alcorão e ao islamismo. O livro levou líderes religiosos a oferecem US$6 milhões de recompensa pela morte de Rushdie que se manteve durante anos em anonimato.

     


  • Lolita

    Vladimir Nabokov

  • O livro conta a história de Humbert Humbert, um professor quarentão que se apaixona por sua enteada de 12 anos. Lolita foi durante muito tempo considerada uma obra pornográfica e que atenta contra os bons costumes.

     


  • Madame Bovary

    Gustave Flaubert

  • Carente de aventuras, Madame Bovary comete adultério e se entrega ao consumismo desenfreado. Por fazer críticas ao clero e à burguesia, o romance causou polêmica e Flaubert foi levado a julgamento por ofender a moral e a religião.

     


  • A Interpretação dos Sonhos

    Sigmund Freud

  • Ao afirmar em sua obra que os sonhos eram projeções do inconsciente, Freud contrariou as teorias da época que acreditavam que os sonhos não eram inteligíveis. As interpretações sexuais dadas a alguns sonhos foi o que causou maior escândalo na época.

     


  • Os 120 Dias de Sodoma

    Marquês de Sade

  • A violência neste livro foi a forma que o autor encontrou para afrontar a Igreja, a família e o Estado em sua época. A obra conta com cenas de incesto, tortura, orgias e assassinato. Não foi à toa que o sobrenome do autor deu origem ao termo “sadismo”. Marquês de Sade foi preso diversas vezes por seu comportamento e acabou falecendo em um hospício.

     


  • Mein Kampf

    Adolf Hitler

  • Escrito durante a prisão de Hitler, a obra expressa as ideias antissemitas e racistas do ditador que culminaram no movimento nazista. Em suas páginas, Hitler persuadia os alemães a combater os judeus.

     


  • Acerca do Infinito, do Universo e dos Mundos

    Giordano Bruno

  • Escrito por Giordano Bruno, o livro se baseia na teoria de Copérnico de que a Terra não é o centro do Universo, mas o sol. Por ser considerado um herege, Giordano Bruno acabou sendo queimado vivo, em Roma, em 17 de fevereiro de 1600.

     


  2 comments

  1. Talita   •  

    Uma correção: a teoria da evolução não afirma que o homem descenderia dos macacos. De acordo com a teoria, tanto homens quanto macacos descendem de um ancestral comum. Esse ancestral não é da espécie dos macacos nem da espécie dos homens. Ele seria uma espécie primitiva, anterior a homens e macacos, e que já nem existe mais. É como se homens e macacos fossem “primos”. Um não surgiu do outro.

  2. Eduardo   •  

    Faltou Manon Lescaut, do Abade Prevost, um escândalo para a época, equivalente a Madame Bovary. Vale citar também O amante de Lady Chaterley, de D.H.Lawrence.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>