Em homenagem ao Dia do Escritor, reunimos dicas para quem quer escrever

(0 Estrelas - 0 Votos)
Tornar-se um escritor! Esse é o sonho de muitos amantes da literatura. Mas escrever envolve muito mais do que, apenas, vontade. Autores consagrados garantem que o trabalho é árduo e um dos maiores desafios é conquistar e envolver o leitor a partir da escrita. Próximo ao Dia do Escritor (25 de julho) além de parabenizá-los por seu trabalho, nosso objetivo é repassar suas dicas para quem deseja tornar-se um deles. Se escrever um livro também é o seu sonho, anote as dicas de quem entende do assunto. Lápis e papel na mão, seu primeiro livro pode começar aqui!

Nosso primeiro conselheiro é o renomado escritor e jornalista colombiano Gabriel García Márquez. O texto original em espanhol pode ser lido na Biblioteca Digital Ciudad Seva.

. Uma coisa é uma história longa e outra é uma história alongada.
. O final de uma história deve ser escrito quando você ainda estiver na metade.
. O autor lembra mais facilmente como uma história termina do que como ela começa.
. É mais fácil atrair a atenção de um coelho que a de um leitor.
. É necessário começar com a intenção de que se escreverá a melhor coisa (jamais escrita) porque logo essa vontade diminui.
. Se você se aborrece escrevendo, o leitor se aborrece lendo.
. Não force o leitor a ler uma frase novamente para compreender seu sentido.

O mestre do suspense, Stephen King, também dá dicas na sua autobiografia On Writting – A Memoir of the Craft:

. Vá direto ao ponto. Não desperdice tempo do leitor com introduções longas.
. Escreva um rascunho e deixe descansando na gaveta por algum tempo. Só assim é possível se distanciar do texto para então editá-lo, fazer cortes e melhorias.
. Corte seu texto. Retire frases, capítulos, tudo o que for supérfluo para passar sua mensagem com mais clareza. Segundo Stephen King, 10% de corte do texto é uma boa média.
. Leia e escreva muito. Assim você tem inspiração para novos temas e aprende o que não deve fazer!
. Se as críticas surgirem, King afirma: não se prenda muito ao que os outros pensam ou você não fará seu trabalho. Sua escrita, provavelmente se tornará pior e menos divertida.

No Brasil, o escritor Flávio Carneiro também dá seu recado em uma entrevista exclusiva para a Estante Virtual. Ele nos conta que decidiu ser escritor por uma influência de seu pai: “Meu pai é um grande contador de histórias, desses contadores de causos que a gente não encontra mais. Quando vi já estava escrevendo contos também e alimentando o sonho de ser escritor”, relembra o autor.

Para Carneiro, o maior desafio na vida de um escritor pode ser finalizar suas obras. “É sempre uma grande aventura, nem sempre com final feliz. Já abandonei algumas histórias no meio e isso é algo bastante difícil de fazer”. A inspiração, ele busca em fatos da vida, sonhos e outros livros. “Os sebos são uma boa fonte de inspiração pelos livros em si e também pelas dedicatórias. É bom muito ler livros comprados em sebos com dedicatórias feitas à mão”, revela o escritor.

Segundo o autor, o grande segredo de um escritor está na paciência! “É preciso ter paciência. Muita paciência. O processo de escrever um livro é demorado, exige dedicação e calma. É preciso reescrever muito mais do escrever. E seu texto só está pronto quando você puder olhar pra ele e dizer, com sinceridade: se esse texto fosse um livro, de outro autor, eu gostaria muito de lê-lo. Só então, é hora de se preocupar em publicar”. Para quem encontra dificuldades para divulgar suas primeiras obras, ele dá a dica: “A Internet é o melhor caminho. Os sites de relacionamento e os blogs também”. A participação em oficinas literárias e concursos, igualmente, rendem bons frutos. Segundo o autor, neles é possível ter contato com outros escritores, ver o que estão fazendo e dividir experiências.

Se você também tem suas dicas, não deixe de compartilhar comentando este post.

Comentários

9 comentários em “Em homenagem ao Dia do Escritor, reunimos dicas para quem quer escrever

  • 23.04.2013 a 2:13 pm
    Permalink

    Ai que post óóóótimo! Amei as dicas de vocês :) Vocês tem twitter ou face? Bjs mil!

  • 23.11.2010 a 1:05 am
    Permalink

    Não sou escritora, mas uma simples amadora. Quem sabe um dia…
    Tenho cá uma dica de um escritor que publicou apenas dois livros, mas cuja obra marcou o século XX: Juan Rulfo. “No começo, você deve escrever levado pelo vento, até sentir que está voando. A partir daí, o ritmo e a atmosfera se desenham sozinhos. É só seguir o voo. Quando você achar que chegou aonde queria chegar é que começa o verdadeiro trabalho: cortar, cortar muito”.

    Compartilhar é uma palavra fundamental, não acham?
    Bons ventos e escritos.
    Abraços, Claudia.

  • 22.11.2010 a 6:46 pm
    Permalink

    Achei ótimas as dicas acima apresentadas. Apenas acrescento: construa mentalmente o tema (assunto); rascunhe os pontos principais (início, meio e fim). E com emoção e sabedoria, coloque o recheio. Entretanto, não estamos falando de uma receita de bolo. Se não houver aquela pitada de inspiração instigante, o leitor não degustará a iguaria, ou porque falta sal, ou porque está apimentada. Certamente, nem todos os comensais apreciarão o seu prato. Não desista, sempre haverá um apreciador das boas receitas culinárias. A improvisação pode surpreender os paladares mais exigentes.

    Abraço de um aprendiz de escritor.

  • 16.11.2010 a 2:49 pm
    Permalink

    Show! Minha dica é simples: escreva por prazer que, com certeza, quem for ler sentirá o mesmo. E lembre-se: rascunhe, leia e releia o que você escreveu. Escrever e ler são minhas terapias: escrever me ajuda a não ser tão esquecida e exercita minha memória. Fica a dica!

  • 14.11.2010 a 12:45 pm
    Permalink

    Olá, são dicas ótimas! Concordo, em boa parte, com elas. Já escrevo há algum tempo. Tenho um blog onde exponho algumas ideias. Considero de suma importância quando os leitores o acessem e deixem seus comentários para que possa melhorar meus textos. Obrigada pelas dicas!

  • 09.10.2010 a 10:07 pm
    Permalink

    Gosto de escrever. Comecei a fazer isso com 13 anos. Quando escrevo, entro no livro completamente. Quando escrevo, parece que vejo os detalhes do meu mundo; vejo a realidade através das palavras. Para quem quer começar um livro, tenho duas dicas: escreva somente quando tiver o que escrever. Não force a barra tentando terminar logo porque não vai sair coisa boa. E a segunda (que é comentada no post) é: escreva o que gostaria de ler como leitor crítico e exigente. E, de preferência, tenha algum domínio sobre o que quer falar.

    Ótimo post Estante Virtual! Boa sorte!

  • 31.08.2010 a 10:55 am
    Permalink

    Gostei do post e dos comentários. Gostaria de contribuir da seguinte maneira: se você tem vontade de escrever, escreva! Não importa a maneira. Não se prenda a técnicas e formalidades – assim como faria se tivesse um violino em mãos e tivesse vontade de tocar. Independe de seu conhecimento. Agora atenção: existe um vale entre “escrever” e “publicar”. Para publicação, as dicas do post são ótimas. Se você não é um profissional do livro, faça da escrita um momento de prazer. Escreva por diversão. Escreva por registro. Escreva cartas, e-mail, bilhetes e blogs. Escreva o que quiser. Faça da escrita uma maneira de se comunicar com o mundo e, principalmente, consigo mesmo.

  • 25.07.2010 a 5:11 pm
    Permalink

    Muito boas as dicas! Parabéns pela iniciativa!

    Vou dar a minha contribuição como profissional da área: acredito que, primeiramente, deve-se escrever de maneira livre, sem censura. Mas numa segunda etapa (caso pretenda publicar de maneira comercial), sugiro passar para o crivo de um parecerista – que apontará seus pontos fortes e fracos da trama, linguagem, desenvolvimento dos personagens através de um relatório de leitura crítica – e fazer uma boa revisão. Texto incompreensível ou mal escrito depõe contra o autor!

  • 23.07.2010 a 10:19 pm
    Permalink

    Sou muito atrevido e procuro sempre exercitar a escrita, seja em crônicas, postagens em blogs, contos. Adorei as dicas e seguirei-as todas à risca.

    A minha dica para quem quer escrever é: enxugue!
    Enxugue todo o texto, tire tudo o que não é necessário para sua compreensão, especialmente os adjetivos. Textos demasiadamente adjetivistas são cansativos e não levam a lugar algum.

    Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares