Conheça histórias de quem reencontrou na Estante Virtual livros que marcaram suas vidas

Que atire a primeira edição de uma obra literária quem nunca criou laço afetivo com um livro. Assim como alguns cheiros e sons, os livros também ficam na memória e contam nossa história. Há emoção maior do que reencontrar obras que marcaram nossas vidas como leitores? A escritora Beatriz Chacon, de 61 anos, acredita que não. Ela encontrou, na Estante Virtual, três livros que buscava há cinco anos: Anayde Beiriz – Paixão e Morte na Revolução de 30, de José Joffily; Amor e Loucura, de Louise Labé com tradução de Felipe Fortuna e Os Anos mais Antigos do Passado, de Carlos Heitor Cony.

“Sou fã do Cony. Tenho várias publicações dele mas estava faltando esta na minha biblioteca. O do Joffily emprestei e nunca me devolveram, então foi uma alegria quando consegui reencontrá-lo”, revela a escritora. Beatriz entrou no portal por curiosidade depois de várias indicações de amigos. E logo na primeira busca encontrou os livros que tanto queria. A emoção foi ainda maior quando encontrou obras escritas por ela mesma à venda.

Depois de viver durante nove anos em um seminário, não faltam histórias e boas lembranças ao advogado José de Souza. Há vários anos, ele procurava por dois livros com letras e partituras de músicas religiosas e folclóricas que ouvia entre as décadas de 40 e 50. Em uma busca descompromissada, José encontrou na Estante Virtual os livros que procurou por tanto anos. “É uma forma de matar a saudade daquela época e reviver a infância. Fiquei muito feliz”, garante.

Uma Menina Chamada Rita, de José Gaymédes. Este é um dos livros mais importantes na vida de Solange Câmara. Seguindo a dica de uma prima, ela acessou o portal determinada a achar a obra que marcou sua infância. Ela já havia procurado em vários sebos de Niterói, onde mora, e não havia obtido sucesso. “Quando encontrei o livro, foi só alegria. Comprei na Estante pela primeira vez e me senti segura desde o início. Acabei de receber a minha encomenda e estou ansiosa para reler esta história”, conta a leitora.

E você? Já reencontrou aqui na Estante Virtual algum livro que foi importante na sua vida? Use o espaço de comentários do blog para compartilhar conosco essa experiência.

Comentários

3 comentários em “Conheça histórias de quem reencontrou na Estante Virtual livros que marcaram suas vidas

  • 09.07.2010 a 6:19 pm
    Permalink

    Certa vez, há muito tempo atrás, decidi aprender técnicas fotográficas. Comprei um livro de Andreas Feininger chamado Curso Feininger de Aperfeiçoamento em Fotografia (diga-se de passagem: um dos melhores que li. Leiam se o assunto interessar). Mas, por inocência minha, emprestei a alguém e esta pessoa não me devolveu. Conheci a Estante Virtual e resolvi fazer uma busca do livro acima citado. Encontrei na primeira busca! Ótimo estado de conservação – isto 20 anos após ter perdido o meu livro. Meu relacionamento com o site e os vendedores foi espetacular desde o pedido até a entrega. Obrigado a todos do site por terem ajudado a encontrar meu livro de cabeceira. Parabéns pela total competência.

  • 30.07.2010 a 10:41 pm
    Permalink

    Minha mãe, grande leitora, transmitiu aos filhos e netos este bom hábito. Sempre falava com saudade de um livro de poemas lido e sumido na sua adolescência: “Ipês”, de Ricardo Gonçalves, poeta paulista amigo de Monteiro Lobato, morto aos vinte poucos anos. Durante mais de meio século, ela procurou esse livro nos sebos de todas as cidades que visitava e ainda pedia, aos amigos que viajavam, que também buscassem essa raríssima obra de única, restrita e esgotadíssima edição. Morreu com mais de oitenta anos sem nunca realizar seu sonho de reler tais poemas.
    Pois bem, na primeira vez que entrei no site da Estante Virtual, lembrei de pedir esse livro … E tinha! Foi com emoção que fiz o pedido. Infelizmente, fui informado que instantes antes o exemplar já tinha sido vendido. Minutos depois, recebi um e-mail de um irmão que mora distante. Na mensagem, ele comunicava, muito feliz, que acabara de encontrar e comprar o tal livro num sebo, via Estante Virtual.
    Hoje mesmo, aos sessenta e cinco anos, reencontrei e estou comprando o primeiro livro de aventuras (Nas Selvas de Java) que li, aos nove anos de idade, na biblioteca do meu colégio, também há mais de meio século. Grato!

  • 20.10.2010 a 11:35 am
    Permalink

    Sempre gostei muito de bichos. Acho que encontramos neles o que a moral nos impõe esconder: os instintos! Os bichos me fascinam e mais ainda as relações que estabelecemos com eles e vice-versa. Bem, uma leitura marcou muito o início da minha adolescência – leitura esta que meu irmão mais velho quis dividir comigo e eu, com outros. Infelizmente, nunca me retornaram o livro. Mas um dia desses, acessando a Estante Virtual, lembrei-me dele: “Será?”. Sim, encontrei em vários sebos, 2 ou 3 edições diferentes de “Uma Paixão no Deserto”, de Honoré de Balsac. Obrigada Estante!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares