Vendas online dão suporte ao negócio físico

Optar pela abertura de um sebo físico foi um grande passo na ampliação do negócio de livros de Edner Braga, do sebo “Clique Livros”, da Mongaguá, litoral sul de São Paulo, e de Luis Antônio Celestino, do sebo “Das Raízes aos Frutos”, do Rio de Janeiro. Os dois começaram como livreiros virtuais, com alguns exemplares cadastrados na Estante Virtual e guardados em casa. A aposta pela venda online deu tão certo que ambos decidiram abrir lojas físicas e expandir o acervo.

Edner Braga, psicólogo e administrador de empresas, começou seu negócio ao cadastrar seu acervo pessoal de 200 livros para venda na Estante Virtual.  Hoje ele conta com um acervo de oito mil títulos e decidiu abrir uma loja física porque os livros já não cabiam mais em casa. Deste total, quase cinco mil exemplares estão disponíveis para compra na Estante. “Durante o tempo em que fui só livreiro virtual percebi que este era um mercado em potencial. Percebi também que o cuidado com a qualidade dos livros era mais importante do que a quantidade dos livros que eu tivesse no acervo. Com o tempo, durante o comércio virtual, vi que era viável ter uma loja e fui comprando lotes de livros”, diz. “A Estante Virtual teve participação total e decisiva na minha escolha de abrir uma loja física. Até a loja física ficar conhecida na cidade, eu só contava com as vendas através da Estante Virtual”, conta Edner.

Luiz Antônio Celestino tomou o mesmo caminho de Edner. Trocou o trabalho numa biblioteca infanto-juvenil pela venda de livros. “Comecei com 50 exemplares. Cadastrei todos na Estante Virtual e desde então comecei a ganhar e comprar mais livros para ampliar o meu acervo”, diz. “A Estante Virtual foi uma importante aliada no crescimento do meu negócio. Abrir o sebo físico foi possível graças ao suporte das vendas virtuais”, afirma Luiz Antônio, que hoje conta com nove mil exemplares cadastrados na Estante Virtual, do total de 20 mil exemplares em seu sebo.

Os dois livreiros concordam que é possível conciliar o comércio online e o físico e que um complementa o outro. “Na loja, tive que ir, aos poucos, percebendo o que o público queria comprar. E percebi que os livros mais procurados não faziam parte do meu acervo no início. Tive que procurar estes livros, como literatura infanto-juvenil, auto-ajuda, entre outros. Já na internet, você tem o acesso de todo o tipo de público. Então, para conciliar os dois, preciso estar atento para manter a variedade e atender o que o público online quer, além de também comprar exemplares para atender ao público da loja física”, analisa Edner.

Comentários

Um comentário em “Vendas online dão suporte ao negócio físico

  • 10.05.2010 a 3:42 pm
    Permalink

    Legal saber que a maioria dos sebos virtuais além de estarem cadastrados na ESTANTE VIRTUAL, hoje se encontram em uma forma física (loja). Eu trabalho em um sebo que começou assim, de forma virtual e hoje emprega 1 (um) funcionário.
    Tenho certeza que não sou o único que esta trabalhando desta forma, sou digitador no SEBO QUARTETO FANTÁSTICO, tenho minha carteira assinada como digitador e acho que futuramente vou precisar de um colega de trabalho, já que aqui não para de chegar livros. rsrsrsrs…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares