Sebos do Norte do país apostam na internet para ampliar negócio

(0 Estrelas - 0 Votos)

Não há mais fronteiras para os amantes da literatura. Livrarias e sebos de todo o Brasil estão espalhados pela Internet proporcionando maior comodidade aos consumidores que estão em busca de seus livros prediletos. O Norte do país está cada vez mais desenvolvido no mercado de sebos e o hábito de leitura começa a se fortalecer entre a população, que está sempre em busca de livros interessantes e com um bom preço.

Mauro Cavalcante, por exemplo, é um dos mais novos empresários de Belém, no Pará. Há três meses ele inaugurou, no bairro de Campina, o sebo Acervo Literário, que reúne cerca de 2000 títulos, todos usados e com expressivo material de Filosofia, Sociologia, História e Teologia. Mauro conta que a paixão por livros usados começou na adolescência, quando trabalhou dois anos em um sebo. Depois, ele passou 13 anos como técnico de informática. Como já não estava mais satisfeito com o mercado de trabalho deste ramo, pediu demissão e com o dinheiro da rescisão, montou o próprio sebo.

Para compor seu acervo, Mauro comprou alguns livros e outros conseguiu por meio de doações: “Fui batendo de casa em casa e coloquei anúncio no jornal. Além disso, fiz propaganda em algumas faculdades. Hoje, a maioria dos títulos que vendo são para universitários”, conta. Para expandir ainda mais os negócios, o empresário recorreu à Estante Virtual com o objetivo de divulgar seu sebo para todo o Brasil: “A Estante Virtual é uma referência nacional, todo mundo conhece. Muitos amigos que têm seus sebos estão lá também”.

Amante da leitura clássica, como “A Divina Comédia”, de Dante e “A Montanha Mágica”, de Thomas Mann, Mauro acredita no mercado de sebos do Pará. Há cerca de dez anos, existiam poucos em Belém, mas atualmente o filão está se expandindo e os sebos acabam ganhando vantagem no confronto com as grandes livrarias: “É importante contribuir para que o hábito de ler esteja cada vez mais presente no cotidiano dos moradores da minha cidade. Agora, com a Estante Virtual, meus livros vão chegar para leitores de todo o país”, diz Mauro.

Direto da Amazônia

Já Celestino Neto, de Manaus, é dono do sebo O Alienista, um dos cinco quiosques que existem na Praça da Polícia. Até o ano passado, ele armava e desarmava todos os dias uma banca onde vendia seus livros usados, mas com a revitalização do lugar, a Prefeitura deu um espaço para os comerciantes trabalharem. Celestino conta que em 2002, somente ele comercializava livros na praça. Atualmente são cinco vendendo livros. Todos eles vivem com o dinheiro que ganham no sebo, graças à clientela fiel que conseguiram conquistar.

A maior parte de seu acervo, composto por cerca de 2ooo livros, é formado por obras sobre meio ambiente (principalmente sobre a Amazônia), poesia, artes, filosofia e literatura em geral. Ele acredita que atualmente as pessoas estão mais interessadas em se informar sobre o meio ambiente, já que o tema é abordado constantemente em debates e em concursos. Universitários, professores, biólogos, jornalistas e escritores são os que mais procuram O Alienista.

Celestino conheceu a Estante Virtual por intermédio de amigos e se tornou cliente antes de cadastrar o seu sebo. Ele pretende expandir os negócios e popularizar o seu espaço: “Pretendo ter mais uma fonte de renda divulgando o meu sebo na Estante Virtual e torná-lo referência não só na minha cidade, mas no país inteiro”, diz.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares