Doris Lessing, Nobel de Literatura 2007, tem 2.193 livros na Estante

A escritora britânica Doris Lessing (nascida em 1919, na antiga Pérsia, hoje Irã), autora de “The Golden Notebook” entre outros livros, acaba de ganhar o Prêmio Nobel de Literatura de 2007. Nos acervos disponíveis hoje para aquisição da Estante Virtual, Doris tem 2.193 livros disponíveisveja aqui a lista. Apesar de ser classificada rotineiramente como “romancista” e “feminista”, a arte e a vida de Doris Lessing são maiores que estas limitações. Num esforço para captar a essência de Doris, a Bookmarks Magazine diz que, “apesar de seu largo escopo literário, seu interesse em posicionar o indivíduo contra a história para universalizar a experiência humana é o que amarra seus mais de 40 romances e coleções de estórias curtas e ensaios”. Entre os temas específicos, Doris abrange psicologia feminina, relações domésticas e transformações pessoais causadas pela violência do colonialismo, do racismo, da desordem social e dos estados de guerra do planeta, sendo influenciada por ideologias como o comunismo, psiquiatria radical e Sufismo.

Para saber mais de Doris Lessing, acesse o tópico “Doris Lessing” na Wikipedia (em inglês), o perfil de Doris no The New York Times Books, o site “Doris Lessing; A Retrospective” e a entrevista do poeta português e amigo pessoal da escritora, Helder Macedo, no site Publico.Pt.

Comentários

7 comentários em “Doris Lessing, Nobel de Literatura 2007, tem 2.193 livros na Estante

  • 22.10.2007 a 9:32 am
    Permalink

    “Eu não poderia me importar menos.” foi com essa frase que ela recebeu a notícia dos jornalistas em volta de sua casa, no último dia 11, quando foi anunciado o prêmio.

  • 24.10.2007 a 6:09 pm
    Permalink

    Mais do que uma escritora de ficção científica ou feminista, Doris Lessing, com a Série Canopus em Argos: Arquivos, tenta mostrar o grau de condicionamento no qual o ser humano vive. Vale a pena conferir. Isso está longe de ser ficção. É a mais pura realidade.

  • 24.10.2007 a 6:18 pm
    Permalink

    Há alguns livros dela sobre isso, Ivana, o que foi uma bela descoberta pra mim também. Bela dica.

  • 26.10.2007 a 4:50 pm
    Permalink

    Adoro a Doris Lessing.Quando estava descobrindo o mundo da leitura, ela me ensinou que não precisava ler um livro, se não tivesse relmente gostando. O livro: “Caderno de Anotação”

  • 30.11.2007 a 1:04 pm
    Permalink

    Shikasta foi um dos livros mais interessantes que já li. Ironicamente, eu que adoro ler e tenho muita facilidade com isso, emperrei na metade do livro, deixando-o de lado por quase 8 anos, quando voltei a questionar a raça humana, as religiões, o mundo e o universo. Com a certeza que que há algo muito além da nossa compreeñsão, lembrei-me novamente de Shikasta e voltei a ler o livro, desta vez para enfim terminá-lo.
    Shikasta é uma leitura difícil, tanto pela estrutura em si (em forma de relatórios e arquivos) quanto pela sua subjetividade. Para que se tenha total aproveitamento das idéias de Doris Lessing é preciso sempre fazer analogias com a história da Terra e do Homem e estar naquela fase onde questionamos profundamente a nossa existência.
    Recomendo demais. Respire fundo e boa leitura.

    Ana

  • 30.11.2007 a 1:46 pm
    Permalink

    Teu comentário é entusiasmante, Ana. Quando li a sinopse e sobre o que era “Shikasta” (não li o livro ainda), a imagem que me veio foi da Blavatsky, pelo teor humano-cosmológico que parecia haver ali. Vou respirar fundo. :)

  • 30.11.2007 a 5:03 pm
    Permalink

    leia sim Nando, e depois me conte o que você achou. Quero muito pra achar alguém que tenha lido Shikasta para poder trocar algumas impressões!
    Ah! E se não conseguir ler na primeira tentativa, me conte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares