Há mais municípios com bibliotecas e menos com livrarias, diz IBGE

Os números têm um “certo gosto amargo”, segundo o ministro da Cultura, Gilberto Gil: o Brasil de hoje tem 17% mais municípios com bibliotecas e 15% menos livrarias do que o Brasil em 1999, revela a Pesquisa de Informações Básicas Municipais (Munic 2006), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mas ela não se refere apenas aos resultados da cultura dos livros, mas de música, Internet, rádio, museus, cinema, quase todos com algum crescimento no período de 7 anos pesquisados. O problema, segundo Gil, é a falta de reconhecimento que a cultura proporciona desenvolvimento social, e isso está enraizado na sociedade e nas decisões e estruturas do poder. A saída, para ele, é o Sistema Nacional de Cultura, que visa reduzir o hiato “sertão-mar” e espalhar a cultura que hoje se encontra concentrada no litoral e não distribuído entre as mais de 5 mil cidades do país. O discurso de Gil está aqui.

Comentários

3 comentários em “Há mais municípios com bibliotecas e menos com livrarias, diz IBGE

  • 27.09.2007 a 11:43 pm
    Permalink

    Infelizmente, vivemos em um país, onde a economia não favorece o mercado de livros.O consumidor cada vez mais apertado e sem dinheiro, com pouco recurso para a aquisição de livros e formação de hábito de leitura e por outro lado os autos custos de manter um negócio, com todos os impostos e despesas como aluguéis, salários e manutenção, faz com que a cada dia o número de estabelecimentos comerciais, aí incluindo as livrarias, fechem. A estante virtual, foi a salvação de muitos sebos e livrairas pela país. Ótimo, saber que, o número de bibliotecas cresceu e que a população de leitores poderá aumentar um dia, pena saber que muitas dessas bibliotecas são saqueadas, depredadas e abandonadas pela falta de interesse dessa mesma população que também vota. Não é senhor “Ministro”.

  • 03.08.2008 a 2:23 pm
    Permalink

    Eu não concordo com o nosso já demitido ministro da cultura, que só pensava em fazer shows, e ganhar o seu dinheirinho.

    A Associação das Livrarias deveria pressionar mais as editoras, pois estas estão invadindo e vendendo direto com os mesmos descontos, para os clientes das mesmas.
    Ou seja, as livrarias estão fechando, por culpa exclusiva da editoras famintas por vendas e por capital.

    Outra coisa, os distribuidores de livros estão entrando direto nas cotações de diversas bibliotecas e orgãos publicos, pois estes tem margem para negociar descontos e ganhar a cotação. Coisa que antes só era feito pelas livrarias, e os distribuidores eram meros intermediarios.

    Isso tudo, ocasionou o fechamento das livrarias de Rua, e por que nosso gorverno não faz alguma coisa, isso não é uma lei de mercado isso é canibalismo.

  • 28.12.2009 a 9:31 am
    Permalink

    Eu sou um aficcionado por livros e quase nunca visito uma livraria. Contraditório? Contraditório é passar na frente das livrarias de hoje em dia e dar de cara com esses livrinhos lixo que eles tentam vender na marra pra população. As livrarias perderam sua aura de encanto porque só estão interessadas em atrair leitores de best sellers. Mil vezes entrar num sebo !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares